Como integrante do Poder Legislativo de Montenegro, tenho como função primordial de representar os interesses da população montenegrina perante o poder público. Dentre as minhas atribuições como vereador, além de representar, também tenho o papel de legislar, fiscalizar e sugerir indicações ao prefeito e secretários municipais sobre interesses da comunidade.

Uma das formas de atender às solicitações e às demandas da população é através dos requerimentos. Os requerimentos são todos os pedidos verbais ou escritos, formulados sobre determinado assunto, que impliquem decisão, resposta ou providência. Todos eles são protocolados e apresentados em plenário nas sessões da Câmara e estão sujeitos à discussão e aprovação dos demais vereadores.

Os requerimentos tratam de diversas solicitações, como a criação de comissões, realização de audiências públicas, convocação de reuniões com a presença do poder executivo e recebimento de informações de interesse público. Essa é uma maneira de cumprir o papel de fiscalizador do povo, intermediando as demandas da população e fazendo com que os assuntos cheguem ao poder público com o objetivo de encontrar uma solução.

Nas últimas semanas, tenho recebido diversas reclamações sobre duas demandas que estão causando problemas e dificultando o dia-a-dia dos montenegrinos.

A primeira é com relação ao transporte coletivo. Os horários de ônibus intermunicipais da Vimsa foram reduzidos em função da pandemia, mas mesmo com a retomada do “novo normal” e com a alteração nos protocolos de segurança na saúde pública, os horários não foram mais ajustados pela empresa.

Com a redução nos horários, as pessoas foram prejudicadas, causando desconforto nos moradores de Montenegro que precisam se deslocar para cidades vizinhas como Novo Hamburgo, São Leopoldo e Porto Alegre. Sem contar também que os horários para os municípios, como Brochier e Maratá também foram reduzidos ou até mesmo cancelados.

Visto essa necessidade, protocolei um requerimento solicitando uma reunião urgente para saber qual a possibilidade da retomada dos horários ofertados pela Vimsa antes da pandemia, bem como buscar uma solução para este problema. O pedido de reunião já foi avaliado e aprovado na última sessão e deve ser agendado em breve na Câmara de Vereadores. Além da empresa Vimsa, solicitei a presença da Metroplan e membros da Administração Municipal.

Outro problema que vem causando dores de cabeça para a comunidade montenegrina é a situação de insegurança no trânsito na chamada rótula da Comauto, que interliga a RSC-287, a ERS-240, a BR-470, além da Rua Buarque de Macedo, principal acesso à nossa cidade. Recebi diversas manifestações de usuários que necessitam passar naquela rotatória diariamente e que relatam sobre a falta de segurança e falta de sinalização adequada no local.

Fazer uso daquela rótula em horários de pico é muito complicado, tanto para os motoristas quanto para os pedestres. A circulação de veículos é intensa, vinda de todas as direções, pois a rótula é uma das principais vias de acesso ao Centro da cidade de Montenegro, ligando três rodovias movimentadas. Além disso, o mesmo local é utilizado por pedestres que atravessam a faixa todos os dias sem nenhuma sinalização de trânsito que garanta a sua segurança.

Como vereador e no uso das minhas atribuições, tenho buscado atender as necessidades e interesses da população. Espero, o mais breve possível, encontrar uma solução para minimizar esses problemas que refletem diariamente na vida dos montenegrinos.

Deixe seu comentário