Talvez muitos não saibam, mas a arte é uma forma das pessoas expressarem as suas emoções, sua história e sua cultura, através de diversos valores estéticos nas mais diferentes formas, como na música, pintura, teatro, cinema, escultura, dança e outras.

Com o passar dos anos, a arte foi evoluindo, tornando um espaço importante para a nossa sociedade. Podemos notar que a arte está presente diariamente em nossas vidas, tendo uma representação indispensável para todos. Posso citar aqui a música. A música é arte. Ela é capaz de deixar a gente feliz quando estamos tristes, despertando diversos sentimentos diferentes. Fico surpreso quando as pessoas dizem que não se interessam pela arte. No entanto, elas não imaginam o quanto a arte é importante para o ser humano.

Recentemente tivemos uma representação do que é a arte nesta casa legislativa. Em homenagem aos 50 anos de atuação da Associação de Pais e Amigos de Excepcionais, a Apae, foi realizada uma Sessão Solene. O plenário da Câmara de Vereadores foi palco de várias formas diferentes da arte. Os alunos da instituição emocionaram o público e todos os vereadores com suas apresentações artísticas de música e dança. Foi um momento de satisfação, alegria e muita emoção.

Inclusive, na sessão daquela noite, usei a tribuna para me posicionar sobre o debate instaurado sobre o título de “Montenegro Cidade das Artes”. Se depender de mim, Montenegro jamais vai perder o título de Cidade das Artes. Farei de tudo para que esse título permaneça e se fortaleça ainda mais! Como vereador, seguirei trabalhando para criar políticas públicas efetivas para melhorar as condições dos artistas e da arte em nossa cidade.

Para não dizer que fico só no discurso, no final do mês de maio deste ano, entreguei ao prefeito Gustavo Zanatta um pedido de indicação para que a Administração Municipal avalie a possibilidade da criação do Projeto de Lei “Prata da Casa”. Um projeto que tem como objetivo incentivar e fomentar a participação dos nossos artistas locais em eventos que contam com o apoio da iniciativa pública, ficando assim, obrigatória a participação dos artistas em aberturas de eventos musicais na nossa cidade.

Além disso, no mesmo período, me reuni com pessoas, artistas e ícones importantes da nossa arte montenegrina. Um desses encontros foi com a professora Therezinha Petry Cardona, idealizadora e primeira diretora da Fundarte (Fundação Municipal de Artes de Montenegro). Tive a honra e alegria de poder compartilhar boas ideias e falar sobre projetos na área da cultura e da arte para o município.
Também é importante frisar que há muitos anos a nossa cidade conta com instituições altamente reconhecidas no cenário cultural. Posso citar aqui a Fundarte e a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Ambas são responsáveis pela formação de diversos artistas em Montenegro, que carregam o nome da cidade e mostram os seus talentos mundo afora. Sem contar tantas outras instituições que representam a arte em Montenegro e carregam o título de “Cidade das Artes” por onde passam.
Retirar o mérito de Cidade das Artes não é o caminho. O que está faltando neste momento é um esforço maior do poder público. Fazer com que nossos artistas sejam mais valorizados e recebam mais oportunidades em todos os cantos e espaços públicos do município.

É preciso reconhecer e entender a história, de pessoas e de uma classe que trabalhou muito para que Montenegro fosse reconhecida como Cidade das Artes. Além de tudo é ter respeito com a classe artística montenegrina que batalha diariamente para que esse título siga pertencendo a Montenegro.

Deixe seu comentário