– Como elite pensante do povo estulto, temos o dever de organizar a manada. Não podemos permitir o “cada um por si”, a violência e o caos que têm se abatido sobre o povo.

– Concordo, camarada.

– Após noite insone, tive um insight. Vamos gerenciar a produção do povoado. Juntamos tudo no depósito social, criamos cestas iguais, uma para cada cidadão, e cada cidadão trabalhará sua cota para produzir os bens comuns. Seremos iguais, sem classes ou propriedade. Uma justa sociedade que batizei de “Igualismo”.

– Genial, camarada!

– Vá lá embaixo e comunique ao povo. Escreverei os fundamentos Igualitários.

– Sim, camarada.

– Então, todos empolgados?

– Tem um probleminha. Uma parte do povo não é muito chegada no trabalho, enquanto outros trabalham bastante. Estes não acham justo receber uma cesta igual à dos preguiçosos. Se trabalham mais, querem ganhar mais. Além disso, alegam que a sociedade justa deve dar direito de escolha.

– Idiotas! O que custa aos preguiçosos trabalharem um pouco mais e aos burros de carga, um pouco menos?

– Outro detalhe, camarada. Nós vamos ter que trabalhar mais, abandonar as teorias e ralar nas lavouras…

– Pensando bem, liberdade de escolha é um conceito social que temos que estimular. Que recebam cestas proporcionais. Será o “Igualismo Meritocrático”.

– Outro probleminha. Já que têm liberdade, querem eleger representantes de seus clãs no depósito social, para fiscalizar a divisão das cestas.
– Que seja! Será o “Igualismo Meritocrático Democrático”, mas nós ficamos na gerência geral.

– Probleminhas, camarada…

– O que foi agora?

– Um grupo que quer o direito de criar seus próprios depósitos, juntando produtos que trocam com povoados vizinhos, oferecendo cestas diferenciadas a quem quiser trocá-las por itens de maior valor. Acham injusto o monopólio das cestas. Outro grupo os está acusando de “porcos exploradores do bem comum”. Um terceiro grupo não quer trabalhar nas lavouras nem nos depósitos. São artistas. Alegam que o povo precisa de diversão e arte. Querem criar a “cesta cultural” e serem remunerados por sua contribuição. Um quarto grupo se juntou ao primeiro para chamar os artistas de “bixos-grilos vagabundos fumadores de plantas”.

– Que se organizem em liberdade, nós faremos as leis para gerenciar conflitos e aplicar penalidades aos exageros. Será o “Igualismo Liberal Meritocrático Democrático”.

– Problemão, camarada! Estão se matando. Um grupo militar se formou e está baixando o cacete. Questionam quem somos nós, para criar e aplicar leis?
– Que se matem! Adaptamos o discurso ao vencedor. Chamarei o sistema de “Política Fisiologista Darwinista”.

– Genial, camarada!

Compartilhar

Deixe seu comentário