É muito fácil criar animais que têm a tendência natural de se aprisionar. Animais pouco destemidos, que têm o medo como seu companheiro mais fiel e o conformismo como sua ferramenta mais útil. Dê a eles a confirmação de que estes medos são reais e ainda mais ameaçadores do que pensavam, e estarão ao seu lado, colados às suas pernas e pedindo “proteja-me, senhor!”.
Diga-lhes que seus conformismos chamam-se, na verdade, Humildade, e que é um sentimento muito nobre. Confesse a eles que você também já esteve assim, atormentado e confuso, mas descobriu um caminho de salvação e que agora sabe como superar essa vida miserável.
E então, sinta-se predestinado – é preciso ter um mínimo de sentimento e uma máxima jornada para convencer – e diga-lhes que sente que deve guiá-los no bom caminho, apesar desse fardo lhe ser muito pesado. Fale de tudo que você vai abdicar por eles, fale das dores deles, que você irá sentir e purgar. Fale que lhe será a tarefa mais árdua da vida, mas que – e então com rosto plácido e iluminado, olhando para um nada místico – essa tarefa sempre foi sua, e que vê, agora, que tudo o que viveu e aprendeu o estava preparando para essa jornada épica.
Fale então sobre os grandes temores. A ração diária de medos é naturalmente farta, mas comece pelo maior deles, a morte. Diga-lhes coisas sobre ela ser assustadora para os que não conhecem sua essência, diga-lhes coisas sobre passagem, sobre superação, sobre jornadas épicas, o que cairá muito bem. Diga-lhes que a morte não é um monstro, é também um guia, ou um caminho, como você. Diga ao seu rebanho que há lugares maravilhosos logo depois do portal escuro cuja chave guarda o Anjo Negro.
Uma vez adestradas e acalmadas suas mentes contra o medo ancestral, fale de outros menores. Monte um menu deles, de acordo com o ambiente observado e as pistas que suas ovelhas espontaneamente baliram.
Todos esses medos já lhes serão encaráveis depois de maquiado o primeiro. Invista fortemente em um ou dois temores de cultivo local, o rebanho precisa foco. Se lhes der variedade, voltarão ao seu estado atônito natural.
Definidos e esmiuçados os medos, revelada e prometida a superação, e eles estarão prontos para a barganha. Todos estão aptos e ávidos por uma barganha vantajosa: Para chegar lá, invista aqui. Para atingir aquilo, faça isto. Há o tesouro esperando os que humildemente entregam com alegria.
Jamais! Jamais lhes possibilite o entendimento, eduque-os apenas até os limites dos seus cercados. Todo o resto é ameaça, distração, confusão. Rebaixe os que fazem muitas perguntas, abata as curiosidades.
Agora trabalhe as dificuldades e impedimentos. Defina os inimigos, jogue as culpas, sempre há um exército do mal que será vencido pelos que ficam no bom caminho: este pelo qual lhes guio! Um paraíso espera os que seguem o bom guia: eu, o escolhido! Você será tentado, caluniarão, denegrirão e desacreditarão o mestre, mas a resposta dos justos será dura e necessária.
Todos esses dóceis animais podem ser facilmente convertidos em feras.

Deixe seu comentário