Acabo de fazer as contas. Se tiver a sorte de viver até os 80 anos, restam-me pouco mais de 10 mil dias neste mundo. Já gastei dois terços da minha existência, sou um perdulário.

Só dormindo as saudáveis 8 horas diárias, consumirei 3.333 dias. Até pode ser considerado vida o tempo que passamos no mundo dos sonhos e pesadelos, nosso cérebro se diverte e aprende com o real e com o imaginário, além disso, um bom sono é um grande prazer. Mas terei 6.666 dias para todas as outras coisas as quais aconselha-se estar acordado para seu bom andamento.
Só neste mês trabalhei 209 horas, ou 8,7 dias. Em um ano, 104 dias. Mais ou menos 2.800 dias dos que me restam passarei trabalhando, não com remorso ou a contragosto, sempre fiz o que me agrada.

Restam 3.866 dias para usar com muita sabedoria.
Há os momentos infames da vida, dos quais não nos livramos. Ao volante ou nos engarrafamentos, por exemplo. Planejei minha vida para passar o mínimo tempo possível na estrada. Graças à internet gasto em média 2 horas por semana ou 4,3 dias por ano em trânsito. Serão 116 dias dirigindo até meus 80.

Eu poderia calcular outros momentos como as filas, à espera de quem não cumpre horários, atrasos e contratempos, sentado no vaso sanitário, no chuveiro… mas estaria gastando meu escasso tempo. Estes momentos não passarão em vão. Tenho planos para cada um deles.

Outro dia fui à uma reunião e vi uma moça na parada de ônibus. Sentada, olhar no nada, celular na mão, a modesta bolsa à tiracolo. Uma hora depois, volto e ela ainda está lá, à espera do descaso e das decisões que outros tomam por ela. Uma hora ou mais por dia, esperando e conformando-se com seu destino. Quantos anos de sua vida passará parada na parada, se não aproveitar este tempo, pelo menos para pensar e planejar uma vida diferente? Uns dirão que ela pode ser feliz assim, sem responsabilidades e cobranças. Mas eu vi o olhar dela, não estava ali, estava num sonho. Mesmo para levar uma vida espartana meditando, é preciso ter planos para a comida, o abrigo e para as doenças. Entregar tudo ao acaso é uma forma de suicídio.

“Há dois dias importantes na sua vida. O dia em que nasceu e o dia em que descobriu por quê.”
Mark Twain

Urge saber o que nos agrada, urge saber nosso propósito de vida, o que nos motiva a sair da cama pela manhã. Cada dia sem este norte é um dia na parada, esperando o ônibus da vida, com o olhar entre os sonhos e o nada.

A grosso modo tenho 3 mil e poucos dias bem aproveitados. Não é exatamente uma fortuna, é preciso gastar como um pessimista e planejar como um otimista. Não tenho planos rígidos, reservo uma quota para surpresas, mas sei exatamente como não quero desperdiçá-los. Portanto, se eu não entrar em brigas inócuas, se evitar frivolidades, se me afastar de mesquinharias, não me leve a mal, nada pessoal, é só falta de tempo.

Deixe seu comentário