No dia 18 de maio ocorre a data alusiva de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes. Se vivêssemos em uma sociedade justa, em que fosse respeitado o futuro das nossas gerações, nenhum evento desta natureza precisaria ser “comemorado”. Mas, infelizmente, ainda temos muito a evoluir, portanto momentos como estes não podem passar batidos sob pena de esquecimento, complacência ou conivência.

Aliás, a imprensa, como na maior parte dos casos de violência, tem função fundamental. O seu papel fiscalizador dos órgãos responsáveis e da sociedade como um todo pode ser decisivo para redução de índices de ocorrências deste gênero. Ainda hoje é comum encontrar policiais relutantes em divulgar informações de casos desta natureza, como se o silêncio ajudasse em alguma redução.

Pelo contrário, de acordo com os organizadores do evento em Montenegro, os dados locais do ano passado serão divulgados somente no evento que ocorre em maio, ou seja, quase cinco meses se passaram do calendário e nada de estatísticas da cidade. No Brasil, cerca de 24 mil ocorrências foram registradas por violência contra crianças e adolescentes em 2014. Um absurdo que a sociedade precisa discutir e começar a trabalhar para diminuir imediatamente. E, quem sabe um dia, zerar essa triste realidade brasileira.

Deixe seu comentário