Nem sempre a economia nos permite ter boas expectativas. E, às vezes, mesmo os bons sinais precisam ser tratados com cuidado para não criar a falsa esperança de um milagroso avanço. Em economia, a melhora costuma ser lenta, setor a setor. Mas, depois de tantas notícias de fechamento de empresas e aumento de desemprego, o Rio Grande do Sul – e Montenegro em especial – começam essa semana tendo uma grata notícia. A JBS, uma das principais empresas da cidade, anunciou investimentos aqui e em diversos municípios do Rio Grande do Sul.
No Estado, o valor chega a R$ 1 bilhão ao longo deste ano e de 2021 e faz parte do projeto de expansão da companhia, que prevê um total de R$ 13 bilhões investidos em todo o país até 2024. Sabemos que o reflexo destes investimentos no dia a dia das pessoas demora um pouco a aparecer. Mas a sinalização de que haverá um aporte financeiro local é inspiradora por significar que a empresa acredita nessas cidades, em seu potencial, na mão de obra disponível e na possibilidade de crescer por aqui.
O Rio Grande do Sul sofre economicamente, por vezes enfrentando ainda mais dificuldades do que o restante do Brasil. Além de sermos um dos estados em pior situação fiscal, parcelando salários do funcionalismo há quatro anos, nosso agronegócio – importantíssimo nas contas do Estado – atualmente padece com a seca. A safra de milho será fraca e, dependendo da chuva de fevereiro, será confirmada a situação da soja. Em meio a tudo isso, a crise na Argentina afeta a nossa indústria mais do que a dos demais estados brasileiros. Diante de tantos desafios, ter uma grande empresa investindo aqui deve sim ser comemorado.
Vale destacar que no mesmo encontro com o Governador Eduardo Leite em que foram feitos os anúncios, a empresa apresentou suas demandas. Coisas que, não apenas eles, mas os moradores do nosso interior e pequenos empresários também aguardam. A necessidade de ampliação das redes trifásicas nas zonas rurais é uma necessidade amplamente divulgada em diversas regiões do Estado. Para atrairmos mais empresas – e gerarmos empregos com isso – é necessário investir em infraestrutura. Isso inclui energia elétrica e estradas em condições de escoar produção. Começamos o ano com uma boa notícia. Vamos trabalhar para que surjam outras.

Deixe seu comentário