Muito se fala, principalmente em grandes cidades, sobre o desrespeito no trânsito e a atitude de motociclistas em relação a outros veículos e pedestres. Todo mundo já viu casos de retrovisores quebrados e desaforos pelas ruas. Mas o que pouco se fala é sobre a união e a solidariedade que existe entre grupos organizados de motociclistas e trilheiros.
Talvez pela escolha em brincar com o perigo ou pelos incontáveis finais de semana juntos – muitas vezes longe da família -, a amizade construída nas pistas e nas trilhas da vida vai muito além delas. Formam verdadeiras famílias unidas pelo mesmo amor. Um pneu furado, um cabo arrebentado ou um pouco de gasolina que falta? É só “dar um grito” que alguém vai ao socorro daquele motociclista durante as provas e encontros. E nem precisa ser um colega do mesmo grupo. A ajuda vem de qualquer lado. Esse é o espírito de esportes como trilhas, motocross e velocross, que atraem cada vez mais “loucos” pelo perigo.
Neste final de semana, trilheiros de Montenegro, Triunfo e de outras cidades provaram que o tamanho do problema é só um detalhe. Quanto maior ele for, maior será a união entre a grande família do motociclismo. A trilha do V8, organizada em favor do montenegrino Marcelo Schu, que enfrenta leucemia promielocítica aguda, provou que a amizade é para todos os momentos.
Foram registrados 435 inscritos. Número surpreendente, sobretudo para um evento organizado em apenas 25 dias, desde que os amigos decidiram que fariam algo pelo colega. Além dos Trilheiros do Brejo e do Tatu Trilha, outros motociclistas, empresários e amantes do esporte quiseram “fazer alguma coisa”. O resultado foi um evento que gerou elogios, com valores arrecadados para o custeio das despesas de Marcelo e ainda proporcionou momentos de confraternização entre amigos de diversas partes do Estado.
Para a família do trilheiro, mais do que o dinheiro, o evento é uma injeção de ânimo. É a certeza de que não estão sozinhos e, caso seja necessário, poderão sempre contar com a grande família do motociclismo. Estejam em Montenegro, Porto Alegre, ou em qualquer lugar do Estado. Seja em momentos de alegria ou não tão bons. E que aprendamos a lição com esses grupos, afinal, amigos são para todas as horas. E com união, é possível trilhar lindos caminhos do bem.

Deixe seu comentário