Mais uma vez, a força das organizações privadas e da população em geral se mostra na nossa região. Não é de hoje que, chamados por instituições ou pela necessidade, pessoas se unem pelo bem maior. Há algumas semanas, foi a popularmente conhecida como Pracinha dos Ferroviários que ganhou um “tapa no visual”, direto das mãos de voluntários. No último final de semana, a localidade interiorana de Fortaleza, numa manhã gelada, viu seus moradores deixarem as cobertas logo cedo na luta por um lugar melhor no qual viver. Descarte correto de materiais pode parecer pouco para alguns, que moram na área urbana e têm essa oportunidade mensalmente, mas, no interior, é muito benéfico, raro e importante.
É de se enaltecer ainda mais porque se trata de um projeto bem mais amplo e que levará diferentes ações para diversas comunidades da área urbana e rural, aqui em Montenegro e em Triunfo. Isso não significa passar por cima do poder público. Ao contrário, eles podem caminhar juntos em prol do coletivo. Foi o que ocorreu em Fortaleza. A prefeitura de Montenegro ofereceu apoio logístico para que a ação pudesse ocorrer e, com a ajuda de uma empresa privada e da comunidade, a iniciativa saiu dos sonhos para se tornar realidade.
A prefeitura tem, obviamente, e assim como os governos estadual e federal, a responsabilidade sobre as ações básicas à comunidade, nas mais diversas áreas, e não pode esperar que as empresas – que já arcam com muitos impostos – e o cidadão façam ainda mais. Porém, sabemos que a situação financeira das administrações, sobretudo as municipais, não é boa. E vai piorar, a julgar pela estimativa de retorno do ICMS para a maior parte das nossas cidades. Se as empresas e os cidadãos não ajudarem, muita coisa ficará esperando pelo poder público, sem sair do papel. O que nos resta é arregaçar as mangas e fazer um pouquinho mais.

Deixe seu comentário