Outubro é o mês dedicado à prevenção do câncer de mama mas, mais do que isso, à saúde da mulher. É o mês de vestir rosa e falar abertamente sobre autoexame, mamografia, preventivo e, por que não, sexo seguro. Pelas ruas, fitinhas e laços lembram que está na hora de agendar aquela ida ao médico, que foi deixada de lado em função da correria do trabalho, dos estudos, dos filhos, da casa e também pelo medo do diagnóstico. É o momento de pensarmos em nós e olhar com carinho para o nosso corpo.

É bem verdade que a gente aprende, desde muito cedo, a conhecer o nosso corpo. Em geral, sabemos quando algo não vai bem. E o autoexame das mamas é um pouco disso também: nos tocarmos para, ao identificar algo diferente, buscar ajuda para descobrir logo o que é. Mas isso tudo não substitui os exames que anualmente fazemos – ou deveríamos fazer. Eles são imprescindíveis para garantirmos que está tudo bem ou que, não estando, teremos maior chance de plena recuperação, graças ao diagnóstico precoce. Por isso é importante falar. Vestir rosa. Usar a fitinha no peito.

Pela cidade e na região ocorrem palestras, rodas de conversa e ações de conscientização. Nós também fazemos a nossa parte. Toda sexta-feira, durante esse mês, o Ibiá apresenta informações sobre o câncer de mama, histórias de quem superou ou está superando a doença, formas de prevenir e diagnosticar precocemente. Afinal, precisamos fazer barulho, porque o câncer é silencioso. Faça barulho. Fale. Converse com a sua vizinha, esposa, amiga, mãe, filha… lembre todas as mulheres à sua volta que elas precisam estar em dia com a saúde. Esse também é um ato de amor. E você, mulher, se toque! Conheça seu corpo e não tenha medo de identificar alguma anomalia. O câncer é tratável e tem chances muito grandes de cura. Mas essas chances aumentam muito significativamente, desde que descoberto ainda em seu estágio inicial.

Deixe seu comentário