Os números da Covid-19 voltaram a crescer após as festas de fim de ano e preocupam autoridades sanitárias da região. Com a chegada da variante Ômicron, que tem uma velocidade de transmissão mais alta em relação às demais cepas do vírus, a confirmação de infectados disparou em poucos dias. Isso, somado ao relaxamento nas ações de prevenção à doença, já desencadeia uma série de restrições pelos municípios. Em Pareci Novo, por exemplo, a Praça e o Parque Municipal já foram isolados, a fim de evitar aglomerações. Em Montenegro, outra medida anunciada no final da semana passada acende o alerta: a restrição de visitas no Hospital Montenegro. Sinal de que a instituição já busca evitar que o vírus se espalhe ainda mais intensamente. A grande preocupação é que a falta de cuidados desencadeie uma nova onda de restrições à circulação e ao comércio – que já sofre com dois anos seguidos de fechamentos.

Mas, se a curva de casos ativos voltou a disparar, o número de agravamentos e de óbitos, felizmente, segue reduzido. Sinal de que a vacinação, que gerou discórdia em alguns momentos, vem surtindo resultado positivo. Isso porque nunca foi promessa que as pessoas imunizadas deixassem de contrair o vírus. Os estudos apontavam – o que vem se confirmando – que as doses deveriam resultar em sintomas mais brandos e em menos internações. Riscos reduzidos à vida de quem contraísse o coronavírus. Isso, os dados mostram, vem se confirmando no dia a dia.

Porém, que o número alto de infecções provoca um risco maior. É uma questão de probabilidade simples, que pode ser demonstrado com a seguinte comparação: se uma bigorna se desprender de uma altura e cair em nossa cabeça, é certo que morremos. Mas em uma batida de carro, a probabilidade é menor. No entanto, muito mais gente morre diariamente em batidas de carro, porque elas ocorrem com mais frequência. O mesmo ocorre com as infecções virais. Mesmo tendo um risco menor à vida, a frequência de casos ativos acende um alerta para possíveis agravamentos e óbitos; que só pode ser diminuído se dermos atenção aos cuidados básicos: higienização constante, uso de máscara, distanciamento social e, claro, manter a vacinação em dia. Façamos a nossa parte!

Deixe seu comentário