Não adianta dizer que é um mal necessário. Pouco de alento traz, pensar que a qualidade da rodovia vai melhorar. Também não ajuda saber que o valor ficou 40% inferior do que poderia ter sido. A notícia de que foi concluído o leilão da Rodovia de Integração do Sul, que inclui a BR-386, trouxe preocupação aos montenegrinos que utilizam a rodovia semanal ou diariamente. A tarifa de R$ 4,30, se agregada ao alto preço do combustível e torna as viagens bastante salgadas.
Segundo informações do edital, a BR-386 ganhará três novas praças de pedágio, um deles no trecho de Montenegro, que deve começar a cobrar os motoristas apenas após março de 2020. Nenhuma grande melhoria, porém, deve ocorrer no trecho antes dessa data. A adequação da duplicação da BR-386 de Canoas até Tabaí deve ficar para até 2036.
O momento de gritar em contrário já passou. Tivessem as nossas autoridades se unido e agido diferente, talvez, o desfecho tivesse sido outro. O Grupo CCR, que já administra importantes vias do país, assume quando assinar efetivamente o contrato, em janeiro, por 30 anos, cerca de 473 km em diferentes vias federais no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, sendo 265,8 km na BR-386. O mínimo que esperamos é que a manutenção ocorra de forma rápida e que os incômodos e perigosos buracos sumam em curto espaço de tempo. Quem pagará a conta é o trabalhador, que já contribui em impostos e terá de pagar uma segunda vez.

Deixe seu comentário