Foi definida a data: 28 de março. Agora, os montenegrinos entram em contagem regressiva para, finalmente, ter o plantão 24h na Secretaria da Saúde. Mas e as outras cidades? Não basta que apenas uma administração municipal resolva sua situação. Todos precisam direcionar seus pacientes e prestar atendimento àqueles que podem ter seu problema resolvido nos próprios municípios.
A expectativa, com a promessa de abertura do Pronto Atendimento Municipal, é de que os serviços de menor complexidade – os verdes e azuis – do Hospital Montenegro sejam reduzidos, já que a maior demanda ainda é dos pacientes montenegrinos. Mas a situação segue crítica, já que o HM é a referência para outras 13 cidades da região.
Era mais do que hora de haver esse atendimento sob responsabilidade do município. Isso ajuda a reduzir as filas no HM e, com certeza, melhora consideravelmente a assistência aos munícipes. Com o atendimento direcionado, a demanda deve ser menor, tanto no PA quanto no Hospital e, com isso, profissionais da área poderão dedicar melhor atenção aos pacientes.
Mas, por outro lado, é preciso conscientização de todos. Como em todos os setores da sociedade, a saúde só funciona adequadamente se cada um fizer a sua parte. É necessário saber que, em casos de menor complexidade, quando não há risco à vida, mesmo com bastante mal-estar, deve-se buscar o atendimento municipal e, em casos de maior urgência, o correto é dirigir-se ao hospital. Acatar as orientações dos profissionais de cada instituição também é imprescindível para não prejudicar o atendimento de outras pessoas que podem estar sob maior risco de morte. É importante ter consciência ao usar os serviços.

Deixe seu comentário