A queda de um pedaço de concreto que soltou da marquise do prédio do Sine chama a atenção e deve servir de alerta. Desta vez, houve sorte de ter ocorrido no sábado à noite, quando a circulação de pessoas nas calçadas é menor e, portanto, ninguém passava pelo local no momento.
Matéria publicada na edição de hoje demonstra que a edificação precisa de reparos, e não se deve esperar uma tragédia acontecer para que seja tomada alguma medida. Compete a um profissional especializado fazer uma análise, mas as paredes, pretas pela umidade, a água que verte do forro, além de baldes e papelões espalhados pelo local, para aparar a água que cai nos dias de chuvas, são indícios claros de que a situação da edificação está longe de ser a ideal. Nesse contexto, o dano na marquise é um aviso que não pode ser ignorado.
Quando se fala em órgãos públicos, vem à mente um argumento antigo: a falta de recursos. Uma justificativa discutível em um país como o Brasil, que se destaca na alta carga tributária paga pelos brasileiros. Pelo montante de impostos que pagamos, não só o prédio do Sine, mas todos os outros que abrigam órgãos públicos, deveriam estar em perfeita ordem, garantindo segurança e conforto aos contribuintes.
Espera-se uma ação imediata dos responsáveis, não apenas no conserto deste problema, mas na busca de sua causa. É necessária uma avaliação na estrutura do prédio, evitando problemas maiores. Não queremos que ninguém se machuque ou perca a vida!

Deixe seu comentário