O brasileiro tem um histórico de desrespeito aos mais velhos. São eles que mais sofrem com golpes aplicados nas ruas ou de forma virtual. São eles os mais ludibriados com empréstimos com taxas de juro ilusórias que os levam à miséria. São eles que são descartados por famílias que consideram muito difícil mantê-los no núcleo familiar. Colocar os pais ou avós numa casa de idosos não é errado quando esta decisão é alicerçada na qualidade de vida desses cidadãos que tanto já ofereceram às suas famílias e à sociedade. Esquecer deles em um asilo e fingir que está tudo bem, sim, é muito errado.

Pelo mundo todo, onde a Covid-19 já alcança seu pico de contágio, os idosos são a imensa maioria de mortes. Por isso, as casas especializadas neste tipo de atendimento estão tomando medidas drásticas como, por exemplo, proibindo visitas de familiares. Em outras, menos rigorosas, há visitas, mas com restrições. Se você tem idosos na família, qual medida tem tomado para preservar a ele e a si mesmo? Em alguns casos, as ações duras vão contra o que eles querem. Sim, é difícil não abraçar os netos. Ficar sem encontrar os amigos na praça. Não poder participar da ida ao supermercado. Eles reclamam. Até brigam às vezes. Mas só assim poderemos garantir que eles verão os netos crescerem, o grupo de amigos seguirá firme no futuro e logo adiante as refeições de domingo terão a família completa novamente.

Esse cuidado, é bom que se deixe registrado, é muito diferente de abandonar ou destratar os idosos. Há registros, aqui mesmo em Montenegro, de pessoas que se sentiram menosprezadas ou destratadas em função da idade por estarem caminhando na rua ou dentro de algum estabelecimento comercial. Antes de criticar ou agredir verbalmente um idoso que você vê na rua, tente entender a razão dele lá estar. Será que ele tem quem faça suas compras? Será que ele vive em um local que possibilite exercício físico? Enfim, ouça antes de criticar. Para eles também não está sendo fácil.

Se você tem idosos na família, mas eles não vivem com você – estando em lares de idosos ou morando sozinhos – mantenha distância física, mas não total. Uma ligação. Um “como vai”? Um aceno pela janela. A gentileza de cada dia faz toda a diferença na hora de passar por uma crise como essa. Preservar o idoso através do isolamento social é totalmente diferente de abandoná-lo à própria sorte. Pense nisso e cuide dos idosos. Isso é por eles, mas também é por você mesmo.

Deixe seu comentário