A notícia de que será marcada uma audiência pública para debater o possível fechamento do campus de Montenegro da Uergs traz à luz novamente uma discussão que há muito já é comentada e gera preocupação. Se, aparentemente, o encontro é um passo a mais nesse caminho, afinal parece que cada vez mais essa possibilidade se torna real, é também uma oportunidade para que o Vale do Caí demonstre a importância que a instituição tem.

Obviamente, é Montenegro a cidade mais impactada. Além de – concretizando-se o fechamento – ver um dos importantes polos educacionais da cidade fechando as portas, seria uma derrota à autoestima da Cidade das Artes, que tem na área cultural uma das suas principais marcas que levam o nome do município para fora do Estado e do País. Além disso, os alunos montenegrinos, que podem estudar Música, Teatro, Artes Plásticas e Dança próximo de casa terão de ir para outras cidades. Isso se conseguirem. E, se tudo isso fosse pouco, a cidade ainda perderá em circulação econômica, afinal, um campus universitário, como qualquer outra atividade, movimenta pessoas e gera riquezas.

Mas não é apenas da administração e da sociedade civil de Montenegro que se espera uma luta para manter o campus da Uergs em Montenegro. O Vale do Caí tem de se unir nessa causa. Caso contrário, ela tem poucas chances de ser vencida. Não são apenas os moradores de Montenegro que têm nessa instituição de ensino gratuita a oportunidade de estudar. Toda a região é beneficiada. E todos serão prejudicados caso ela vá se instalar em Porto Alegre ou em outra região do Estado.

As poucas manifestações contrárias e, principalmente, poucas ações concretas pela permanência da Uergs em Montenegro fazem surgir um questionamento: seria assim caso estivéssemos falando de um campus com cursos de outras áreas que não a Arte? Se fossem de outros segmentos, que formassem profissionais como advogados, médicos, agrônomos ou pedagogos, a possibilidade de perder a instituição local de ensino seria encarada da mesma forma? Se chegarmos à conclusão que não, teremos comprovado que se trata unicamente e preconceito contra as Artes, um comportamento que só trará prejuízos à cidade e à região. É isso o que queremos? Ou vamos nos unir para manter a Uergs em Montenegro?

Deixe seu comentário