A proibição da distribuição de canudos e copos plásticos, em tramitação na Câmara de Vereadores de Montenegro, merece atenção especial da comunidade. A medida tem como objetivo a preservação do meio ambiente, historicamente maltratado. A iniciativa, portanto, beneficia a todos os cidadãos.
Os produtos levam, em média, 110 anos para se decompor. Por outro lado, os biodegradáveis, apenas dois anos e meio. Analisando os números, não é preciso muito esforço intelectual para saber qual a melhor alternativa. Nesse sentido, a proposta do vereador Cristiano Braatz (MDB) é muito bem-vinda e merece o apoio dos montenegrinos.
Os plásticos abandonados no ambiente causam uma série de problemas extremamente graves. Entopem, por exemplo, bueiros e bocas de lobo, ocasionando inundações e dores de cabeça para um incontável número de pessoas. Além disso, ao ser ingerido, o material provoca a morte de milhares, talvez milhões de animais.
Projetos de lei com o intuito de preservar o planeta precisam ser cada vez mais fomentados. E isso não pode ser limitado pelo fato do vereador autor da ação pertencer ao partido X ou Y. O foco precisa estar no benefício para a população, extrapolando a esfera política.
Quem é contrário à iniciativa de Braatz pode usar como argumento o fato da proibição representar a perda da principal atividade econômica de algumas famílias. Verdade. Mas as pessoas têm a capacidade de se reinventar e de buscar uma nova ocupação em um curto espaço de tempo. O meio ambiente não.

Deixe seu comentário