As páginas 4 e 5 do Jornal Ibiá de hoje trazem o registro de uma alteração operacional que representa uma péssima notícia para o futuro da cidade. Preocupa bastante a redução do retorno de ICMS proveniente de uma decisão administrativa da JBS Aves em Montenegro.
Por anos, a empresa do ramo alimentício disputou com a John Deere o posto de maior empresa do Município em termos de arrecadação do tributo estadual. Porém, agora, com a determinação de que grande parte do frango de Montenegro não seja mais comercializado daqui, o imposto ficará para a Prefeitura de onde foi registrada a venda: uma cidade de Santa Catarina.
Se, por um lado, a empresa tem suas razões administrativas para centralizar a comercialização numa única unidade – a vantagem para os negócios é evidente -, por outro, para Montenegro, o impacto é muito negativo. Representa a chegada de menos recursos para a máquina pública. E estes, como todos sabemos, já são escassos para a totalidade das necessidades da cidade.
Mesmo que tenhamos queixas ou dúvidas sobre a forma como o dinheiro é utilizado ou repartido entre as demandas dos montenegrinos, é fato que, com queda de receita, se torna ainda mais complicado administrar qualquer município.
Mesmo que a Administração aponte que Montenegro vê num horizonte próximo a chegada de outras fontes de recurso, como o pedágio e as empresas que vão compor o Polo da Química, sabemos que a soma, em um primeiro momento, dificilmente atingirá os números da gigante JBS.
Trazer novas empresas não é fácil. Todas as cidades as querem e é uma disputa que se instala. Diferencia-se, aí, a cidade mais estruturada, com facilidades logísticas e atrativos administrativos.
Certo é que, diante do cenário econômico atual, em um Estado que pouco tem para investir, avizinha-se um tempo de aperto nas contas públicas. Isso exigirá da próxima administração a assumir a Prefeitura, seja qual for o grupo político, esforço, competência e criatividade redobrados para atender as demandas dos cidadãos. Os gestores terão de buscar recursos de fontes variadas e ser muito criteriosos nos gastos. Se o dinheiro escorrer pelas torneiras erradas, faltará o básico. Sabemos bem como isso funciona. Estaremos de olho, fiscalizando e cumprindo nosso papel.

Deixe seu comentário