…e também para quem os ama. Saber que, mesmo ainda num projeto piloto, a Câmara de Vereadores de Montenegro agora conta com comedouros para animais de rua e paletes forrados para servirem de abrigo aos mascotes que não têm uma casinha poderem se abrigar é daquelas notícias que aquecem o coração e servem para iniciar a semana mais esperançoso. Não, isso não resolve uma série de dificuldades que os cuidadores de animais têm. Mas ajuda.
Em geral, os integrantes dos grupos ou ONGs que prestam apoio se esforçam para dar conta de um serviço ignorado pelas administrações públicas. Sim, é verdade que os recursos já são escassos para cuidar dos humanos, que muitas vezes padecem esperando auxílio nas áreas de saúde ou assistência social, por exemplo. Mas isso não pode servir de desculpa para que os animais sejam esquecidos, sofrendo em abandono pelas ruas das cidades. Se a castração dos animais de rua fosse permanente, eles não estariam se multiplicando pelas cidades e fazendo crescer um problema já bastante grande e evidente.
Vale lembrar, também, que nem tudo será feito pelos governantes ou pelas ONGs. Mas parece que muitos, apesar de gritarem seu amor aos bichos, preferem esperar de braços cruzados. Seguidamente são vistas em grupos nas redes sociais notícias de um animal abandonado, que precisa de um lar ou de atendimento médico. Quem vê se lembra de colocar na rede social, à espera de que alguém faça algo. Alguém que nunca é aquele que está ali, tão pertinho que pode tirar uma foto. Custa caro levar ao veterinário e manter em casa, alguns dirão. Sim, claro que custa. E custará aos outros também, igualmente.
Agir, fazer a diferença no mundo, mudá-lo nem que seja um pouquinho, custa. Quando não é em dinheiro, em esforço e tempo certamente. Mas quem realmente se importa faz, age, ao invés de esperar que os outros assumam a responsabilidade. Um grande passo pela causa animal foi dado. Cada um dos que se sentiu feliz com a notícia podia engrossar a caminhada. Assim ela iria mais longe, com certeza.

 

Deixe seu comentário