O calor do Verão que se aproxima desperta a vontade de viajar. Ir para a praia ou para o interior acaba sendo a opção de muitos. Para aqueles que não têm a oportunidade de se bandear para outro lugar, a Biblioteca Pública Municipal Hélio Alves de Oliveira se apresenta como um espaço que permite viagens para mundos fantásticos.
Através do acesso universal aos livros que ela permite aos montenegrinos, há a possibilidade de se viver grandes aventuras por meio da história de autores como Erico Verissimo, J. K. Rowling, Eduardo Galeano, Jorge Amado, J.R.R. Tolkien, Gabriel García Márquez e tantos outros escritores brasileiros ou estrangeiros.
Completando 70 anos na segunda-feira, essa “senhora” também é importante parte do passado e presente de milhares de montenegrinos que antes – e apesar – do advento da Internet usavam-na ou ainda a usam de forma recorrente para realizar pesquisas. Assim, desde 25 de novembro de 1949, a Biblioteca Pública Hélio Alves de Oliveira vem espalhando por Montenegro cultura e conhecimento.
Das sete décadas bem vividas da Biblioteca Pública, talvez os últimos 10 anos tenham sido os mais turbulentos. Em dezembro de 2012, por necessidade de reforma da sua sede, o acervo foi transferido para um prédio alugado na rua Buarque de Macedo. Em 2013, a instituição passou a atender a comunidade no Parque Centenário. Distante do Centro, o público que comparecia à biblioteca minguou. Apesar disso, ela segue recebendo diversos visitantes e sendo importante para muitos montenegrinos, como mostramos em matéria publicada hoje nas páginas 6 e 7.
Por isso, é importante celebrar a história e a importância da Biblioteca Pública Municipal Hélio Alves de Oliveira. Nenhuma ação será melhor do que trazê-la de volta para o vibrante centro da cidade, onde ela poderá voltar a ser parte da vida dos montenegrinos. Após anos de entraves por decisões políticas, a reforma do prédio está concluída. No entanto, agora é a burocracia que dificulta a sua reabertura: a Prefeitura aguarda a liberação do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios (PPCI). Após vários adiamentos, a expectativa é de que a biblioteca retorne para seu lugar de direito no primeiro semestre de 2020. Já é hora!

Deixe seu comentário