Todo mundo sabe que essa notícia virá entre o final de fevereiro e início de março. Ainda assim, serve como aquele balde de água fria que faz os brasileiros acordarem do Carnaval e caírem na realidade. O ano realmente começou, com as contas batendo à porta. Sim, estamos falando da declaração do Imposto de Renda. As empresas e as instituições financeiras têm até amanhã, 28, para enviar os comprovantes de rendimentos. Na próxima segunda-feira, 2 de março, inicia o prazo para a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física.
Apesar de ter sido uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro, mais uma vez não houve correção da tabela pelo índice da inflação, o que significa que o governo, na prática, aumenta o imposto e arrecada um pouco mais do povo brasileiro. A correção não é realizada desde 2015 e deixa isento apenas quem tem renda de até R$ 1.903,98 por mês. É claro que o não cumprimento da promessa frustra o cidadão, especialmente o que votou em Bolsonaro e esperava a mudança neste início de segundo ano do mandato. Mas o grande questionamento não é esse, até porque a falta de atualização nesta tabela já perpassa três presidentes.
O problema real é o sufocamento de as contas públicas serem repassados à população. As famílias que conseguiram passar ilesas ao desemprego nesta longa crise financeira – e é uma parcela pequena – sofrem para equilibrar o orçamento porque a renda caiu. Temos mais pessoas trabalhando na informalidade e sobrevivendo conforme conseguem. E, ainda assim, não há alívio quando o assunto são os impostos.
E isso não diz respeito apenas ao IR.Basta lembrar-se da recente polêmica do imposto sobre a gasolina. Governadores e presidente discutiram e, na prática, ninguém abriu mão de um centavo. Como, aliás, qualquer pessoa bem informada sabia que ocorreria. Gestores de estados, como o Rio Grande do Sul, alegam que a situação dos cofres não permite abrir mão de nenhum centavo. A equipe econômica liderada por Paulo Guedes tem um discurso bem similar. E com as contas da população alguém se preocupa?

Deixe seu comentário