Você pode até não gostar do Estacionamento Rotativo. Pode até reclamar de pagar R$ 4,00 para ficar duas horas estacionado pelas principais ruas do Centro de Montenegro. Os motociclistas, motoristas de aplicativo e entregadores podem sim ter as suas queixas. Mas ninguém deve estar feliz com as idas e vindas do sistema. Nem três meses depois de entrar em operação de forma atrasada por uma suspensão da Justiça, mais uma vez, a Serbet, vencedora da licitação, é obrigada a interromper a atuação porque outra empresa, que sequer participou do certame, conseguiu o efeito suspensivo.
A prestação do serviço está longe de ser perfeito. De parquímetros com problemas à falta de funcionários, há muitas reclamações. Mas esta suspensão não melhora o serviço, nem põe fim a ele, apenas deixa tudo mais incerto.

A discussão sobre quem está legalmente com a razão deve obviamente ficar para o âmbito da Justiça, até porque é preciso entender corretamente quais argumentos a empresa que contesta o sistema utiliza. Mas, antes mesmo de saber o fim desta disputa jurídica, uma coisa é clara: o prejudicado é o povo de Montenegro e região. As discussões se o sistema é ou não adequado ou se ele seria necessário já envelheceram. Agora o que a população precisa é de tempo de adaptação e dos naturais ajustes. Mas, como isso será possível se, no instante em que a economia começa a girar num ritmo mais normal e, portanto, o fluxo de carros se eleva no Centro, o processo é suspenso?

Quem circula pelo centro de Montenegro habitualmente sabe que, antes da implantação do sistema, era praticamente impossível encontrar vagas para estacionar em alguns horários do dia. No período de isolamento social, obviamente, sobraram vagas, mas bastou o comércio reabrir para que se percebesse a diferença em estacionar tendo e não tendo área azul. Agora a incerteza reina mais uma vez.

Quem está vindo para o Centro, hoje, muito provavelmente está cheio de dúvidas. Será que continua suspenso ou não? Será definitivo ou não? Os créditos que comprei serão perdidos? Uma eventual multa em aberto, como fica? São dúvidas em excesso num momento onde já deveria haver mais certezas. A empresa vencedora da licitação e a prefeitura acreditam que, nos próximos dias, tudo será esclarecido e o sistema voltará a operar normalmente. Seja qual for a decisão judicial, espera-se que as idas e vindas terminem e que logo a população saiba o que irá encontrar ao chegar no Centro.

Deixe seu comentário