O peso da carga tributária e a burocracia sempre transformaram o poder público em inimigo do setor produtivo. De fato, em geral, a Prefeitura e outros órgãos do governo do Estado e da União mais atrapalham do que ajudam aqueles que desejam instalar sua empresa, gerar empregos e lucros. As exigências para se estabelecer são muitas – e exageradas – e obrigam o empreendedor a fazer uma verdadeira romaria pelos órgãos e repartições atrás de licenças e alvarás antes de iniciar a atividade.
Neste contexto, a instalação da Sala do Empreendedor pela Prefeitura, esta semana, é uma excelente notícia. Num mesmo local, os empresários têm acesso a todos os serviços e documentos fornecidos pelo Município. É menos tempo perdido correndo de um setor para outro, cada um com seus prazos e exigências. Hoje, o empresário abre o protocolo num prédio, solicita alvará em outro e, dependendo do tipo de negócio, precisa tirar licença de operação no Meio Ambiente e ainda ir à Vigilância Sanitária. As informações e documentos são fornecidos em locais físicos e em diferentes endereços.
A Sala do Empreendedor centraliza tudo isso. O empresário vai até lá e obtém todos os encaminhamentos e informações sobre o que precisa, em nível municipal, para dar início a seu negócio. Um importante avanço, que deve ser comemorado com a mesma disposição com que se costuma criticar os erros e omissões do poder público. No mínimo, o emprendedor ganhou mais tempo para o que importa: produzir.

Deixe seu comentário