Olhar para trás e ter orgulho da trajetória trilhada é maravilhoso. Planejar o futuro com a certeza que tem muito a contribuir também. Mas ser, hoje, um agente transformador na nossa comunidade é algo que traz ao Ibiá a maior das realizações. Somos um jornal com quase quatro décadas de história, travando as lutas de Montenegro, do Vale do Caí e das nossas comunidades. Somos um portal de notícias. Somos a Rádio Ibiá Web. E, acima de tudo, somos parceiros da nossa população em qualquer dessas plataformas.

Sempre acreditamos, desde a nossa fundação, que deveríamos ser mais que um jornal. Não que ser jornal seja pouco. Ao contrário. Era há 38 anos e hoje é ainda mais – vivemos temos de intensa desinformação – através dos jornais que os cidadãos se munem de informação confiável e útil para o seu desenvolvimento e a conquista dos seus objetivos. Mas sempre soubemos que precisávamos ser mais que um jornal. E para isso trabalhamos a cada dia. Na noite da última segunda-feira, 21, tivemos mais uma grata demonstração de que alcançamos este objetivo.

Em cerimônia realizada na Estação da Cultura, homenageamos as Mulheres que Brilham. Foram 11 montenegrinas – de nascimento ou de coração, escolhidas pela comunidade – laureadas pela sua atuação destacada em diferentes áreas. Além delas, outras duas mulheres, que já não estão entre nós, cujas trajetórias foram tão representativas que os montenegrinos as reconheceram como Mulheres que Brilham.

Para além de homenagear mulheres merecedoras da nossa cidade, entendemos que esta ação do Ibiá oferece à comunidade pitadas generosas de autoestima, de orgulho, de afeto e de felicidade. Nos orgulhamos deste projeto e de todas as ações que contribuiram para o crescimento de Montenegro. Este foi e continuará sendo o papel do Ibiá na nossa cidade e na região.

Ser mais do que um jornal é isso, é estar junto da comunidade nos bons e maus momentos. É alertar para que erros não se repitam e, melhor, sejam reparados. E, também, é estar aplaudindo os acertos. Somos e seguiremos sendo, com orgulho, mais que um jornal.

Deixe seu comentário