Houve tempo em que se ouvia muito dizer que as novas gerações não gostavam de ler, por isso seriam mais pobres em conhecimento. Parecia fazer sentido, afinal, cada vez menos se vê gente carregando livros. Hoje percebe-se, porém, que o gosto pela leitura tem pouca relação com a idade e muito menos com a plataforma utilizada para absorver cultura. Para muitos jovens – criados desde a mais breve idade manuseando tablets e smartphones – a leitura realmente não faz mais sentido quando ofertada em papel. O crescente mercado de e-books e audiobooks mostra que a maneira como se interage com o livro muda, mas o seu valor para a sociedade como objeto de ação transformadora jamais se perderá.

É tempo de feiras do livro ocorrerem nas mais diversas cidades do Estado e do País. Não fosse a pandemia, concomitantemente, praças das mais variadas comunidades gaúchas estariam recebendo livreiros e leitores. Mas em 2020 se faz necessário evitar as aglomerações e reinventar o modelo de feira do livro. É o que Montenegro fez e nós vemos acontecer a partir de hoje. Nos mais diversos setores econômicos e da sociedade em geral, a pandemia de Covid-19 nos fez colocar o pé no acelerador em várias mudanças que já vinham ocorrendo. A educação EaD, a comida por delivery, as vendas por e-commerce, entre tantas outras. Seria estranho se os livros e a cultura em geral também não passassem por uma transformação. Estão passando.

E a feira do livro do “novo normal” vem pra mostrar que a gente se transforma para evoluir sem perder aquilo que é fundamental.

E o que é fundamental? Ensinar à próxima geração as delícias de uma história bem contada. As crianças não se encantam por um livro porque este lhe ensina algo, traz determinado conhecimento ou amplia o vocabulário. Elas se encantam pelo que há de mais belo na literatura: sua capacidade de fazer voar sem tirar os pés do chão, de conhecer o mundo todo sem precisar passar por nenhum aeroporto e, sobretudo, de dar asas à própria imaginação. A 18ª Feira do Livro de Montenegro e 13ª Feira do Livro do Vale do Caí acontece até o dia 17 de outubro. Não perca a oportunidade de, de forma digital, oportunizar a uma criança a descoberta disso tudo.

Deixe seu comentário