A madrugada da última quinta-feira, 25, foi de sobressaltos pra muita gente. Relatos vindos de diversos pontos da cidade citavam uma “explosão” em Montenegro. Falava-se até em bomba. Mas logo nas primeiras horas da manhã o mistério já estava elucidado. Tudo não passou de um treinamento de agentes da área de segurança pública.
A Escola de Formação e Especialização de Soldados (EsFes) de Montenegro confirmou ao Ibiá que realizou ação especial de treinamento dos soldados-alunos incorporados à unidade. E também ocorreu um treinamento do Grupo de Operações da Susepe (GAES) quanto a ações em eventos críticos de presídio, como motins.Explicada a situação, muitas pessoas seguiram reclamando pelo susto e, principalmente, pelo sono perdido.
Ninguém gosta de ser acordado à noite, principalmente por um som que não consegue identificar e, se muito forte, pode gerar temor. Mas, antes de reclamar sobre isso, lembre-se de que nossa polícia precisa estar capacitada para lidar com qualquer dificuldade. E isso inclui atividades noturnas e barulhentas. Mesmo que a operação atrapalhe o sono de alguém, o que, obviamente, não era o objetivo de quem organizou as atividades.
O povo brasileiro – às vezes coberto de razão – reclama da falta de capacitação dos nossos agentes públicos para atender as demandas da sociedade. Por isso mesmo, deveria valorizar e não reclamar de um treinamento deste tipo. Vale lembrar que, por mais desagradável que seja, é melhor acordar com um som de treinamento policial do que com um bandido invadindo sua casa. O que, aliás, não é tão incomum em Montenegro. Quem já passou por uma situação de violência sabe o quanto é importante ter policiais capacitados para solucionar o problema, sem colocar o cidadão de bem e os colegas de profissão em risco.

Deixe seu comentário