O Verão está chegando e, nesse período de chuvas, uma situação recorrente dessa época volta a chamar à atenção: a proliferação do Aedes aegypti. A mobilização contra o mosquito transmissor de doenças como dengue, Zika vírus e chikungunya deve ser permanente. Mas a preocupação se intensifica em dias em que há calor possibilidade de água parada, como é o caso dessas semanas chuvosas pelas quais estamos passando no Vale do Caí.
O período de Verão é a época de maior risco de infecção por doenças transmitidas pelo Aedes. E ele pode ser o motivo de outras enfermidades, como microcefalia, por exemplo.
O combate ao vetor é tarefa de toda a comunidade e deve ser motivo de muita atenção. Qualquer local que acumule água pode ser um criadouro do mosquito. Para combatê-lo, é preciso observar com atenção quando se está indo ao trabalho, para a escola e até mesmo caminhando pelo bairro. Olhar cada cantinho e, caso veja uma vasilha com água parada, esvaziar e garantir que ela não acumulará mais líquidos.
Nesses dias em que a chuva cessou, é preciso vasculhar com ainda mais atenção. Procurar possíveis focos do Aedes em cada cantinho da casa, do pátio, da rua e das praças. Essa atitude precisa ser ainda mais minuciosa após as cheias do Caí, mas deve ser um hábito recorrente em nosso cotidiano.
A responsabilidade é de todos e a prevenção é o melhor caminho para garantir a saúde da família, vizinhos e colegas. Essa também é uma forma de cuidar da nossa cidade e, principalmente, das pessoas que amamos. Mais do que cobrar ações das autoridades, é preciso tomar a responsabilidade e garantir que nossa parte foi feita. E, além disso, caso um possível foco do Aedes seja encontrado, é importante comunicar o serviço de saúde ou a vigilância do município.

Deixe seu comentário