O abandono de animais é um problema recorrente em Montenegro. Aqueles que defendem a causa se deparam diariamente com novos casos, sejam de adultos ou cadelas com seus filhotes. Para alguns cidadãos, há preocupação com o bem-estar dos animais, para outros, com os transtornos que eles possam causar nas ruas, mas há consenso de que a situação demanda atitudes.
O combate ao abandono é uma luta antiga, levada adiante principalmente por voluntários. Eles doam tempo, usam recursos próprios e promovem “vaquinhas” e ações beneficentes para conseguir recursos necessários para o atendimento veterinário e alimentação. Nesse contexto, o anúncio da retomada de castrações pela Prefeitura, realizado nesta semana, representa um avanço.
Vale lembrar, porém, que é preciso a população aliar-se aos voluntários e todos ficarem em alerta para acompanhar o processo, garantindo que a iniciativa não caia no esquecimento, mas realmente saia do papel. A castração é uma forma de evitar a procriação desenfreada e, em médio e longo prazo, faz muita diferença na redução da população de animais nas ruas.
Além de cobrar atitude do poder público, a população pode auxiliar também fazendo a sua parte. O combate ao abandono passa pela posse responsável, o que significa a consciência de que, ao adotar um animal, deve-se garantir atenção, carinho, alimentação e atendimento veterinário sempre que for necessário. É preciso ter em mente que os animais são vítimas do abandono provocado pelos humanos.

Deixe seu comentário