A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, que iniciou no último dia 21 e vai até amanhã, evidencia alguns fatos que deveriam receber maior atenção em todos os 365 dias do ano. Dentre todos os assuntos relacionados ao tema, os principais pontos trabalhados nas atividades realizadas em Montenegro são inclusão e oportunidade. Já passou da hora de cessar com o preconceito instalado na sociedade. Essa luta deve ser de todos.
Um dos maiores obstáculos encontrados pelas pessoas com deficiência na cidade é a acessibilidade. Além da falta de mobilidade no transporte público, a precariedade da infraestrutura de diversas calçadas de Montenegro impede que muita gente transite com tranquilidade. Esses problemas são vistos nas principais ruas do município. A população em geral, mas principalmente quem possui deficiência, aguarda ansiosamente soluções do Departamento de Trânsito e da Secretaria de Obras.
Buscando igualdade e uma maior inclusão no ambiente de trabalho, os portadores de deficiências também batalham diariamente para serem ouvidos e notados pela sociedade. O movimento reforça a importância da participação da família nessa luta. E, assim como enfatizou a diretora da Apae, Naia Sehn, a inclusão social e o resgate da cidadania devem ser vistos como formas de oportunizar uma vida normal aos deficientes intelectuais.
Na verdade, não estamos falando de pessoas doentes, mas de seres diferenciados, com potenciais pouco estimulados e capazes de amar muito mais do que a maioria de nós imagina. O deficiente é um ser humano como qualquer outro, único em suas diferenças. Doentes somos nós, incapazes de reconhecer o seu valor.

Deixe seu comentário