Qualquer profissional da área financeira, ao aconselhar alguém quanto aos seus investimentos, orienta que jamais se coloque todos os recursos em um único negócio. A razão é simples: por mais seguro e rentável que ele possa parecer, sempre há chance de algo de errado acontecer e aí tudo se perde. É o que acontece hoje na agricultura de Montenegro, totalmente dependente dos citros em algumas regiões. Se o clima ou o mercado deixam a desejar para as culturas de laranja, limão ou bergamota, nada se tem para compensar a má colheita.

Trouxemos na edição de hoje um exemplo positivo ao contarmos a história de um agricultor que está diversificando sua produção e apostando nos morangos. A ideia parece até lógica, afinal estamos ao lado de Bom Princípio, capital do moranguinho. Estranhamente, por aqui, esse tipo de cultivo é raro, quase inexistente, assim como o de outras tantas alternativas.

Somos conhecidos pelos citros. E nossos produtores merecem e necessitam todo o apoio governamental para seguir produzindo e comercializando sua produção com preços justos. Porém, esse mesmo incentivo também precisa ser ofertado quanto à ampliação de cultivos, para que toda uma comunidade não fique dependente de apenas um tipo de produção. Que o morango sirva de exemplo para o investimento em outras frutas, verduras, cereais, legumes ou hortaliças, e que se prove que nessa terra tudo dá. Mãos afeitas ao trabalho não nos faltam.

 

Deixe seu comentário