O que você quer estar fazendo quando estiver prestes a completar 80 anos? Tomara que você tenha dito: querendo seguir trabalhando. Por quê? Porque se, com quase 80 anos você estiver pensando em seguir na labuta diária, é sinal que escolheu a profissão certa, fez diferença na vida de muita gente e, principalmente, foi tão feliz nas décadas de dedicação profissional que quer seguir atuante até quando a saúde lhe permitir. Não, isso não é um conselho. É apenas o resumo da vida de um montenegrino de coração, o senhor Ivo Pereira de Souza; que tem uma vida dedicada à educação e à Escola Técnica Estadual São João Batista.

Mas sua história de dedicação começa longe de Montenegro, quando ele chegou à Escola Técnica de Pelotas com um emprego na zeladoria. Algo, aliás, digno de respeito e orgulho. Foi então que o diretor percebeu o gosto do jovem Ivo por desafios e o provocou a realizar o teste para ingressar no Curso Técnico em Mecânica. Depois, ainda concluiu Técnico Industrial em Eletricidade da PUC; Artes Industriais na Universidade de Passo Fundo e uma pós-graduação em Física, pela Unisc de Santa Cruz.

Foi necessário esforço, mas o final foi de sucesso e orgulho. Já formado, outro desafio, uma vaga para vir a Montenegro e atuar no Ginásio que hoje é a Escola A.J. Renner. Tempos depois, Ivo faz história ao participar da fundação do São João Batista, em 1974. E, mais do que isso, de lá para cá, segue mudando histórias de vida, passando aos alunos conhecimento e desafiando-os como, um dia, foi desafiado. A história de Ivo não é importante pelo que ele fez, mas, principalmente, pelo que ele segue fazendo, dia após dia, ano letivo após ano letivo.

Diante de uma história tão inspiradora, impossível não vislumbrar o quanto uma oportunidade pode fazer a diferença. Em geral elas vêm através do estudo e do esforço. Neste caso, ainda é preciso destacar, ela veio em forma de desafio. Mas esta mesma história nos deixa outra lição. A de não desmerecer o que os idosos têm a oferecer. Imagine se, após os 60 anos, Ivo tivesse escolhido ir curtir a praia indefinidamente. Seriam 20 anos nos quais dezenas de turmas teriam perdido não só lições descritas em livros, mas, principalmente, experiências registradas por ele. E a generosidade maior de qualquer ser humano está justamente em dividir o conhecimento que traz e assim revolucionar vidas. Agora, a pergunta que fica é: onde o seu Ivo quer estar aos 90 anos? Se bem que… a gente sabe a resposta.

Deixe seu comentário