O período entre 8h e 17h de domingo e as horas subsequentes serão de extrema importância para o futuro do País, como são todos os momentos em que a população escolhe os seus representantes. É provável que, ao final do dia, ainda não saberemos quem será o presidente do País ou o governador do Estado em razão da possibilidade de haver segundo turno, mas já estará definido quem serão os representantes do gaúchos na Assembleia Legislativa, na Câmara dos Deputados e no Senado.
Se é a disputa para os cargos de presidente e governador que polariza a discussão, ela não é a única que merece tamanho debate. Escolher bons legisladores é fundamental para que o Brasil tenha o futuro de paz que prega o Hino Nacional. Portanto, é necessário que o eleitor estude com cuidado todas as suas escolhas.
Mais importante que isso, é manter a civilidade e aceitar o resultado que as urnas mostrarão. Os ânimos mais exaltados causados pelo extremismo de eleitores de esquerda ou de direita não pode nos fazer esquecer que somos, acima de tudo, iguais e que nenhuma diferença justifica uma agressão. Assim, a mudança desejada deve ser mostrada nas urnas e não no enfrentamento na rua. Toda e qualquer violência neste dia – e nos outros – deve ser denunciada às autoridades competentes.
Assim, ciente de todas as implicações de seu comportamento e conhecendo a força e o poder de seu voto, o cidadão está convocado para ir às urnas para definir o futuro do Brasil e do Rio Grande do Sul. Sem ódio, sem raiva, inspirado apenas no genuíno desejo de ver o pais crescer com justiça e igualdade.

Deixe seu comentário