Num momento em que muita gente critica as polícias, por causa de incidentes e mortes de civis em confrontos, a Brigada Militar de Montenegro dá mais um excelente exemplo de aproximação com a sociedade. Desde o começo do ano, um grupo de agentes da corporação “adotou”, como uma espécie de mascote, o pequeno Yuri Gabriel Pereira Althaus, de dois anos. Morador da Travessa José Pedro Steigleder, uma das regiões mais pobres e conflagradas de Montenegro, ele tem grande admiração pela Polícia, que já o presenteou com uma farda e uma viatura de brinquedo. Esta semana, os homens da lei voltaram para entregar novos mimos.
Quem está de fora talvez não consiga perceber valor nessa ação. Não se trata apenas de fazer doações e de dar alegria a uma criança pobre. O que os PMs estão fazendo é plantando uma semente. Mostrando que a população pode e deve confiar na Polícia, que ela existe para defendê-la e que está em todos os locais onde é necessária. Se isso muitas vezes parece irreal, não é por falta de esforço dos brigadianos, mas porque o efetivo é limitado.
Nesta fase da vida, é comum as crianças idealizarem uma profissão e até quererem exercê-la no futuro. A experiência mostra, contudo, que Yuri pode mudar de ideia muitas vezes, tantas quantas quiser. Ou tornar-se brigadiano. Já à corporação cabe a tarefa de garantir que ele chegue à idade adulta em condições de fazer esta opção, sem ter sido molestado ou cooptado pelos bandidos que moram na vizinhança.
A iniciativa merece elogios e deveria ser replicada em outros bairros e comunidades, em todo o Rio Grande do Sul. A nossa geração, apesar de todo esforço, não tem sido capaz de deixar um país melhor para crianças como Yuri. Que ele e outros tantos possam crescer admirando e imitando os mocinhos para, quando for necessário, fazerem a escolha certa.

Deixe seu comentário