Nossas cidades têm inúmeros problemas. Aliás, é assim na imensa maioria dos grandes e médios municípios. Salvam-se, talvez, aqueles muito pequenos em que todos se conhecem e se ajudam. Talvez sua situação melhor se justifique justamente no fato de, em algumas comunidades, haver uma união capaz de transformar áreas públicas. Tivemos um exemplo recente disso quando uma escola estadual de São José do Sul passou por um incêndio. E a comunidade se uniu para fazer a reforma sem precisar esperar pelos minguados recursos do governo. Mas, você se recorda de alguma escola montenegrina ter recebido tal abraço da população?

Neste final de semana, porém, será Montenegro a receber “um carinho” da comunidade e para a comunidade. Ele virá na forma de reparos na pista de skate do Parque Centenário. Você pode não saber andar de skate. Pode até mesmo não gostar deste esporte. Mas, como cidadão, deve ficar feliz em saber que neste final de semana a pista de skate será reformada. E sabe qual a participação do poder público? Fornecer a matéria-prima e os demais artigos necessários para que sumam os buracos e o chão áspero que tanto atrapalha a prática do skate. A organização foi feita pela Associação dos Skatistas de Montenegro, mas a obra será realizada em forma de mutirão.

Não se está dizendo, é claro, que os cidadãos devem sair à rua assumindo responsabilidades que são da Prefeitura. Ninguém está dizendo para você ir asfaltar a rodovia nem trocar as lâmpadas da sua rua. Mas, se todo mundo ajudasse um pouco, sobraria mais dinheiro para investir em necessidades que são relevantes, mas para as quais quase nunca sobra verba. Por exemplo: será que a pracinha da escola em que o seu filho estuda está em bom estado? Quem sabe um mutirão para embelezá-la? Pintar um brinquedo ou plantar as flores no jardim? A escola assim estaria bem mais bonita para receber as crianças após a pandemia. É uma possibilidade entre tantas outras.

Às vezes, esse “carinho aos bens públicos” vem no formato de um simples cuidado. Os bancos das praças, os banheiros públicos, a fachada dos prédios. Enfim, tudo o que é de todos nós merece ser preservado. É assim que zelamos pelo patrimônio e também pelo dinheiro público. É neste momento, em que estamos elegendo nossos representantes políticos que pensamos ainda mais nas necessidades da cidade. E assim tem de ser, para fiscalizar os políticos. Mas também é um bom momento para pensarmos no que cada um pode oferecer para que Montenegro seja um lugar melhor de se morar no futuro.

Deixe seu comentário