É fato incontestável que nas últimas décadas o mundo vem vivendo uma notável alteração de perfil demográfico. Significa: redução de natalidade, redução de mortalidade infantil, aumento de longevidade e aumento relativo da população idosa.

Em um século, a expectativa de vida quase dobrou. Mas não é a mesma em todo o mundo. Não é possível comparar a Noruega com Moçambique. Pergunta para reflexão: Por que será?

Para início de conversa, uma afirmação que muito se repete e precisa ser desmistificada, é que antigamente se vivia mais. Em média, vivemos muito mais hoje do que no passado. E viveremos ainda mais no futuro. Na Europa, no início do século XX , a expectativa de vida andava ao redor dos 40 anos. Em 100 anos, quase dobrou.

Precisamos também definir o que é idoso. Do ponto de vista legal, no Brasil, conforme a Lei 8842, de 04 de janeiro de 1.994, que dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, em seu Artigo 2 º “Considera-se idoso, para os efeitos desta Lei , a pessoa maior de 60 anos de idade”.

Talvez não seja este o momento para fazer uma provocação? Esta idade legal de 60 anos, que significa um tratamento diferenciado e até alguns privilégios, está sendo justa e bem dimensionada em relação ao conjunto da sociedade? Uma pessoa com pouco mais de 60 anos, saudável, ativa e com boa situação financeira, precisa mesmo ter o custo de sua passagem de ônibus financiado por alguém que, fora uns poucos anos a menos, perde em todos os demais quesitos?

Outro lembrete: velho e idoso não é a mesma coisa. Do ponto de vista legal, sou idoso, e já faz bastante tempo. Mas quero ter a imodéstia de pensar que não sou velho. Quem sabe, jovem há mais tempo? É um conceito muito menos biológico e muito mais comportamental e de postura.

Todos temos duas idades: a cronológica e a biológica. A idade cronológica é a do calendário, da certidão de nascimento, do número de velinhas que temos de apagar nos nossos bolos de aniversário.
A biológica é a idade que reflete o estado de vitalidade de todos os nossos órgãos e células. É o nosso estado de conservação. Como num automóvel, o ano de fabricação não é tudo. Quer elogiar um idoso e melhorar o seu astral? Pois lhe diga: “Você não parece ter a idade que tem”. Ele sempre vai pensar que você está querendo dizer que ele aparenta menos; nunca o contrário. Tente. Vale a pena deixar alguém feliz.

As pessoas envelhecem de modo diferente. Por várias razões: genética, estilo de vida, cuidados com a saúde ao longo da vida, condições socioeconômicas, etc…

O envelhecimento humano é um processo universal, natural, progressivo e gradual. É universal, porque a maioria envelhece (nem todos). É um processo natural, não uma doença, mas que pode vir acompanhado de doenças. É progressivo, contínuo, e não tem recuo. E é gradual, acontece lentamente, aos poucos. Quase não nos damos conta. O envelhecimento é inevitável, mas as doenças não. Muitas podem ser prevenidas ou pelo menos, retardadas. Depende um pouco das escolhas de cada um.

Cada idade com suas dores e seus prazeres. Procurar pela fonte da eterna juventude, nada mais será do que uma grande frustração. Um bom envelhecimento passa muito mais por uma busca de saúde, autonomia e independência, engajamento ativo com a vida, relações sociais, vínculos familiares, convívio comunitário ,etc… etc…

Começar a treinar, quando? Sinto muito, devia ter sido ontem. Não importa a idade que você tenha. Mas hoje ainda será muito melhor do que nunca.

Um grande abraço.

Deixe seu comentário