Carlos Eduardo Vogt
Enfermeiro

A vida toda escutei as pessoas falando que o pior sentimento que se pode ter por alguém é a raiva. Dizem os mais entendidos que sentir raiva faz mal para o coração, fígado e para a alma, mas se aquela pessoa de quem sentimos raiva morre, nada muda.
Para muitos, a tristeza é um sentimento ruim. Sentir-se triste pode parecer o fim. Há quem diga que as melhores obras surgiram das tristezas de seus autores que, melancólicos, colocavam no papel e transformavam em música tudo aquilo que sentiam.
Há ainda quem diga que o rancor pode ser um sentimento ruim. Ter ciúme ou mágoa de alguém pode não ser o melhor sentimento deste mundo, mas também, em um mundo cheio de competição, como não lidar com rancor?
Mas, na minha opinião, o pior sentimento é o amor. Amar alguém, muitas vezes, pode ser uma fatal armadilha para que sintamos todos os sentimentos citados acima e muitos outros. O amor entra em nossos corações como algo fantástico e, no passar dos dias, pode vir a se transformar em algo ruim. A vida nos ensina a amar a família, mas, em determinado momento, nos tira, transformando todo aquele amor em tristeza.
A mulher que amamos vai embora e o amor torna-se rancor, mágoa, tristeza…
Não fosse esse tal amor, talvez a nossa vida fosse bem mais calma, pois conheço pessoas que correm a vida toda atrás de um grande amor e sequer enxergam de longe algo que possa ser parecido.
Então, dos piores sentimentos, amar certamente é um deles, pois tudo o que amamos um dia nos deixará, fazendo com que o amor torne-se algo não muito legal.
Mas como não vivemos sem amor, nem que seja amor próprio, seguimos a vida, amando quem temos que amar e não dando assunto para quem não encontrou o amor e ama encher o saco alheio.
Costumava falar, no passado, que nossas vidas são estações, como as de trem. Pessoas vêm e vão, felizes ou tristes, passam por nós. Assim sendo, nossas vidas nada mais são do que estações passageiras.

Deixe seu comentário