Cássio Brito
Contador, Professor e Pensador

Existem pessoas que são como rios. Inconstantes, determinados, barulhentos. Pessoas implacáveis em seus objetivos, que seguem inabaláveis no caos do caminhar, sem se preocupar com obstáculos, com barreiras, com a vida e sua plenitude, pois eles são a vida!

Por vezes caudalosos e quentes, às vezes gelados e pacíficos, seguem seu ritmo, em sua velocidade e rumo ao final de seus sonhos. Pessoas constantes em sua busca, mas que nunca são as mesmas, pois suas águas mudam, seus sonhos progridem, suas dores sucumbem.

Chegam a todos com sua força e presença.
Pessoas que traçam as linhas divisórias entre o certo e o errado, que rasgam as paisagens com sua presença marcante, que produzem alimento, que produzem energia, que, dentro do caos de sua existência, produzem vida.
Existem pessoa que são como rios.

Jamais podem ser interrompidas sem consequências, jamais podem ser alteradas sem que se pague o preço, pois são assim. Simplesmente assim.
Pessoas de quem queremos estar próximos para sentir sua força e apreciar sua beleza, para experimentar da água das experiências colhidas em sua jornada, para nos aproveitarmos de sua energia e seguir seu rumo. Para chegar em seu destino, que às vezes é o nosso.

Pessoas que nos trazem a certeza de que mudamos a cada instante, pois, em nosso interior, cada milionésimo de segundo é importante e, assim como o rio, já não temos as mesmas águas.
Células morrem, células nascem, explosões elétricas em nosso cérebro impactam os neurônios e transmitem sentimentos e sensações. Envelhecemos segundo a segundo e, como o rio, somos diferentes, mesmo que pareçamos os mesmos.
Existem pessoas que são como rios, firmes e decididas.

Podem parecer insensíveis, pois não seguem os nossos sonhos e as nossas vontades. Seguem seus caminhos e destinos, traçados pela força de suas águas e pela pressão de seu querer. Nos ensinam dessa maneira a ter objetivos, foco e determinação. Ensinam que, às vezes, devemos seguir independente das margens, independente dos obstáculos, independente do que esperam de nós. Devemos olhar para o futuro, erguer a cabeça e ir, pois, todos somos rios em algum momento, somente não aceitamos isso. Ser rio demanda energia e mudança, e nem sempre julgamos estar com a energia necessária para a mudança.

Não aceitamos que somos diferentes a cada instante. Mas somos.
Nossas células mudam, nossos sonhos mudam, nossas vontades mudam.
Existem pessoas que são como rios e não param, pois parar é a morte do rio. É deixar de se oxigenar, de se renovar, de buscar e de levar a vida.
Todos somos um pouco de rio também…

Deixe seu comentário