Ernani Polo
ernani.polo@al.rs.gov.br

Imagine-se em um barco, remando ao lado de outras pessoas. Para que ele chegue ao seu destino, os tripulantes precisam unir-se: definir qual o rumo a seguir e, a partir daí, trabalhar em conjunto. Eis que, no meio do caminho, surge uma tempestade. A tormenta assusta, e o risco de a embarcação naufragar é alto – mas a harmonia e o esforço das pessoas em torno de um objetivo afasta o perigo.

Essa analogia faz sentido em muitas situações, mas é especialmente adequada em tempos de coronavírus. Em mais de vinte anos de atuação pública, jamais presenciei uma crise como esta. Ela nos coloca em situações até há pouco inimagináveis, escancarando como é frágil a humanidade. De repente, somos privados daquilo que nos é mais caro: o abraço caloroso dos amigos, a conversa afetuosa dos colegas, o sorriso de um familiar. Tememos pelas nossas vidas e a de nossos entes queridos, sobretudo os mais idosos. Com fé, buscamos sentido no isolamento.

Além de remar na mesma direção, precisamos ter a consciência de que estamos todos no mesmo barco. Na Assembleia Legislativa, buscamos liderar ações para que esta cruzada possa ser vencida e que a normalidade volte a reinar em nossas vidas. Na última semana, deputados de todos os partidos aprovaram em unanimidade as medidas do governo que buscam conter o avanço do vírus. A votação autorizou a contratação emergencial de profissionais de saúde e o decreto de situação de calamidade pública. Também definimos uma série de medidas internas para evitar aglomerações no Palácio Farroupilha e, mesmo assim, manter as rotinas essenciais do Legislativo. Além de estabelecer o sistema de trabalho remoto, serão permitidas votações em ambiente virtual.

Buscamos cumprir nosso papel porque vemos a bravura de homens e mulheres, Rio Grande afora, que seguem fazendo a sua parte nesse momento crítico. Estamos todos juntos: dos médicos e enfermeiras às donas de casa; dos empreendedores que buscam manter os empregos aos autônomos com esperança de dias melhores. Vejo o esforço dos produtores rurais, que já sofriam com a enorme quebra da safra causada pela estiagem. Dos trabalhadores de toda a cadeia do setor primário às empresas de logístico, o momento é ainda mais delicado, merecendo todo nosso apoio. As dificuldades e dores que vocês vivem são compartilhadas com a solidariedade de cada um dos gaúchos.

O momento é de pensar grande e agir rápido para salvar vidas. Isso se faz, é claro, em decisões do Poder Público e no incansável trabalho dos profissionais da saúde. Mas, também, está na mão de cada um de nós: é hora de valorizar mais o positivo ao invés do negativo, de buscar fortalezas, de ajudar o próximo, de aflorar a empatia. É hora de união e esperança. A missão é dura, mas sairemos dela muito mais fortes e cooperativos – todos remando juntos em um mesmo barco.

Compartilhar

Deixe seu comentário