Há poucos dias entramos num novo ano. Os textos do final do ano apontaram para a dimensão da morte e do juízo final, se estamos preparados ou não para receber Jesus quando Ele voltar… Mas, a partir do Natal, surge a mensagem da esperança. Mesmo sabendo que a virada do ano não alterou num passe de mágica nossa realidade, somos chamados olhar para este novo ano com esperança. Adversidades estão presentes desde as civilizações mais antigas. Todo e qualquer tipo de vida está exposta elas. Independente se é branco, negro, rico, pobre, gordo, magro, do oriente ou do ocidente, ninguém está livre de passar por elas.
A Bíblia relata muitos momentos de adversidades com alguns de seus personagens centrais. Destes, reflito com vocês, este testemunho do apóstolo Paulo. Ele não escreve sobre algo que desconhece ou apenas imagina, mas por experimentar situações opostas na vida. Paulo passou por muitas adversidades em vários lugares. Ele ia de cidade em cidade pregando o Evangelho. Em quase todas sofreu perseguição, foi xingado, quase linchado, apedrejado, caluniado de várias maneiras, foi preso e quase morto. Todas as vezes que a perseguição aumentava em determinado local, Paulo o abandonava e se dirigia a outra cidade. Apesar de tudo, em nenhum momento pensou em desistir da atividade que realizava. Ele nos deixa um exemplo de força para persistir: “Aprendi que o segredo de me sentir contente em todo lugar e em qualquer situação” […] é “a força que Cristo me dá”. Paulo afirma o que Lutero, anos mais tarde, testemunha em seu hino: “A minha força nada faz, sozinho estou perdido”.
A verdade é que o ser humano não é autossuficiente e em algum momento da vida, frustrado, se dará conta disso. Então verá que precisa da ajuda de algo ou alguém maior do que Ele. Para muitas pessoas este algo ou alguém maior se encontra numa crença mística ou filosófica, ou em algum objeto de superstição. Mas para Paulo, esta força vem de Cristo. Somente Ele é a verdadeira força, presença e ser divino do qual devemos buscar e recorrer. Jesus mesmo afirma em João 15.5: “Eu sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido comigo e eu com ele, esse dá muito fruto porque sem mim vocês não podem fazer nada”.
Conta-se que um jovem marinheiro, certo dia, em meio a uma tempestade, teve a tarefa de subir ao mastro do navio em alto mar, onde era sacudido violentamente pelas ondas e o vento. E lá estava ele, agarrado no mastro do navio. Sempre que olhava para baixo e via a violência das ondas e a força do vento, sentia medo e ficava tonto, correndo o perigo de desmaiar e cair nas águas revoltas. O capitão do navio reconheceu o perigo e gritou ao jovem: “Não olhe para baixo, olhe para cima!”. Então ele desviou o olhar das ondas do mar que eram tão ameaçadoras e focou seus olhos para o alto. Conseguiu cumprir a tarefa da qual fora designado, mas, sobretudo, o olhar para o alto salvou sua vida. Esta história pode fazer você refletir sobre os violentos temporais que se abatem à tua vida. Medos, mortes, doenças, perdas, preocupações, ou mesmo, outros acontecimentos, podem lhe enfraquecer e até derrubar. Como que você lida com isso? Para onde você foca seu olhar?
O salmista expressa seu testemunho de fé: “Elevo meus olhos para os montes e pergunto: De onde me virá socorro? O meu socorro vem do SENHOR, que fez os céu e a terra” (Sl 121.1-2). Preste atenção: “Elevo meus olhos”. Isto significa olhar para cima e não para baixo. Diante das adversidades da vida, faça como o marinheiro ou como o salmista: eleve o teu olhar! Não foque para baixo, para os problemas, para o fundo do poço. Mas foque seus olhos com confiança e fé para cima. Olhe para Deus, busque a presença de Deus em oração e na leitura da Bíblia. Deste novo olhar lhe brotarão forças, virá a paz, sabedoria, tranquilidade, discernimento, paciência, sobretudo, o sentimento de sentir-se acolhido, protegido, fortalecido e guiado por Deus. Diante da adversidade, olhe para cima, olhe para Deus e esteja firmado sempre naquele do qual lhe vem a esperança e a força. Não foque teus olhos e tua confiança em si mesmo. Você não é totalmente autossuficiente, nunca será! Mas, focando teu olhar em Cristo e experimentando da ação dEle em tua vida, você poderá testemunhar e afirmar junto ao apóstolo Paulo: “Com a força que Cristo me dá, posso enfrentar qualquer situação”. Busque unicamente a Cristo e experimente isso. Amém.

P. Marcio S. da Costa
Avisos da semana: O culto deste domingo 24.01 será apenas online, com transmissão pelo Facebook: Luterana Montenegro às 9h30. Continua nossa campanha de alimentos não perecíveis e produtos de limpeza.

Deixe seu comentário