“Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento!” […] “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. (Mt 22.37, 39)
Até aqui, durante todo o ano, refletimos no Decálogo, ou seja, nos Dez Mandamentos. A cada mês refletimos um mandamento em estudos com ênfases diferentes, contextualizando-o para nossos dias. Para este mês de novembro, vamos reinterpretar estes mandamentos à luz do Novo Testamento. Jesus não anula os Mandamentos de Deus, mas os resume, no que a teologia luterana conhece por “Duplo Mandamento do Amor”.
Dos 10 mandamentos, os três primeiros são orientações de Deus para que tenhamos um bom relacionamento para com Ele, enquanto que os demais sete, são orientações divinas para que tenhamos um bom relacionamento com o próximo, entre a sociedade. Hoje vamos refletir na primeira parte do duplo mandamento onde Jesus resume os três primeiros mandamentos enfatizando o amor à Deus em três dimensões:
1) “de todo o teu coração”: o coração, na compreensão hebraica, é o interior do ser humano que Deus vê, a sede das forças da alma, da inteligência, das faculdades espirituais do ser humano. Ali têm lugar a alegria, o temor, a dor, o amor, o desejo, a inteligência e o pensamento. Nele nascem os propósitos e as resoluções. O coração é o “eu” do ser humano em que Deus escreve a lei, ali estão a fé e a dúvida. Na visão bíblica, não existe qualquer sugestão de que o cérebro seja o centro da consciência, pensamento ou vontade; tudo isto acontece no coração. A Bíblia não distingue os processos racionais ou mentais, a exemplo da filosofia grega. Neste sentido, amar a Deus de todo o coração é igual a amá-lo de toda a alma, mente e força (pois tudo isso está contido no coração);
2) “de toda a tua alma”: a alma é considerada a fonte da vontade e dos sentimentos do ser humano, muitas vezes vista como a vida em si;
3) “de todo o teu entendimento”: o entendimento pode significar mente ou inteligência.
A ênfase nestas três dimensões tem a intenção de ressaltar que precisamos amar Deus com todo o nosso ser, sem reservas. Na prática, amar a Deus é, simplesmente, ser fiel a Ele, colocá-lo em primeiro lugar em nossa vida, ao ponto de confiar tudo a Ele, de contar-lhe tudo em oração, de valorizar e santificar o dia do Senhor, buscando comunhão com Ele em sua casa. Mas também é permitir que Ele nos ame,que seu amor flua em nós, entendendo que não podemos conquistá-lo por méritos, nem atraí-lo por feitos, prestígio ou piedade. Este amor em si é dádiva de Deus e não uma conquista pessoal nossa!
P. Marcio S. da Costa – Paróquia Evangélica de Montenegro – IECLB
Avisos da semana:
– Hoje, 08.11, 19h30-Adolecentes.
– Sábado, 09.11, das 9h-9h45–aulas de violino, das 9h45-10h30–aulas de violão, das 10h30-11h40- ensaio do Coral infantil, 15h30- Ensaio da Confirmação, 17h-21hEncontro pais/mães e Confirmandos/as do 2º ano.
– Domingo, 10.11, 9h- Culto de apresentação dos Confirmandos/as.
– Terça, 12.11, 14h30-OASE Tarde da Mulher.
– Quarta, 13.11, 20h-Conserto Igrejas-Orquestra de Câmara da UNISC, na Igreja da Ressurreição.
– Quinta, 14.11, 18h30-20-Ensino Confirmatório do 2ºano, 19h-Comunhão e Discipulado(Coordenadores).
– Evangelização-Tema: Vida Plena- 15.11(sexta), 19h30 – “Pessoal”; 16.11(sábado), 19h30 – “Com Deus”; 17.11(domingo), 9h30 – “Com o Próximo”.

Deixe seu comentário