Gauchada querida! Prendas e peões, irmãos/ãs na fé! Dar a vida em prol de alguém parece façanha de herois de filmes. Mas isso não é fictício, existem muitos viventes que dão a vida para salvar outros. Lembro com muito respeito a profe. Heley Batista. Dia 05.10 completará 3 anos que morreu com 90% do seu corpo queimado após salvar a gurizada e pelear com o segurança que incendiou uma creche em Janaúba (547 km BH).Lembro de guascas que ao tentar salvar vítimas de deslizamentos, acabam perdendo a vida por causa de nova queda de barreiras; ou daqueles que após salvar viventes se afogando, acabam morrendo afogados.Na Revolução Farroupilha, quantos deram a vida pela liberdade do Rio Grande do Sul.
Jesus aqui fala de ovelhas e tropeiro. Na Palestina daquele tempo, muitos criavam ovelhas, como por aqui ainda fazem. Certamente a maioria da gauchada conhece ovelhas. São bichos frágeis, que pela pouca visão, se guiam muito mais pelo ouvido. Os rebanhos de ovelhas tinham sempre um cuidador: o tropeiro, que passava praticamente todo o dia junto do rebanho. O contato era tanto que ovelhas reconheciam a voz de seu tropeiro eele as conhecia ao ponto de chama-las pelo nome. Vida de tropeiro é bucha! Dormiam mal por bombear o rebanho, enfrentavam larápios e bichos ferozes que vinham, as vezes em bando, roubar, matar as ovelhas. O tropeiro, com seu cutillo, peleava brava e violentamente para defender o rebanho.
Ovelhas por vezes estavam baixadas, esguapeladas e o tropeiro as cuidava para a cura. Tchê! As ovelhas também deitavam o cabelo e o tropeiro atucanado arranca-se campeando a acha-las, laçá-las e traze-las de retorno. O Divino Tropeiro fez esta comparação para falar a respeito dEle, pois conhece seus seguidores, seu rebanho. Através do nosso batismo, Jesus nos conhece pelo nome, nos enxerga por fora, mas sobretudo, por dentro. Ele nos afirma que também podemos conhece-lo a partir da fé. Assim como as ovelhas conhecem seu tropeiro pela voz, Jesus se revela a nós pela Palavra, para que tu e eu, ouvindo a voz dEle nela, possamos reconhece-lo. Tu realmente conhece o Bom Tropeiro? Ou anda desgarrado, solto pelos pagos?
O grande problema de hoje é que muitos viventes, por não buscarem matear com o Divino Tropeiro, não conseguem mais identifica-lo, nem discernir entre a verdadeira e a falsa voz, dando ouvidos a muitos balaqueiros do mundo, que seduzem, dão um laço, dividem, espalham e conduzem à morte.O Patrão alertou que o ladrão só vem para roubar e matar, mas que Ele veio para que suas ovelhas tenham vida e vida em abundância. E hoje, muitos viventes continuam xucros, não compreendendo seu ensino e a profundidade de sua mensagem. O Bom Tropeiro deu sua vida, não apenas por um índio véio próximo, mas por todo gentaréu, até por tu e por mim, mesmo que nascidos séculos após, esta promessa nos enlaça. Barbaridade!
Se tu é um bagual, galopando de rédea solta, sem rumo, iludido no mundão, presta atenção: vida não é barbada! Um dia cairá tua ficha: Preteou o olho da gateada! Ou então: Tô no bagaço! Quero largar de mão a vida…Te acalma, vivente! Hoje a voz do “Divino Tropeiro” vem até ti para prosear. Ele não quer te largar campo à fora. Ele quer te laçar e envolver, atrair ao curral para te afastar do mal. E lá será loco de especial! Para que tu não digas: “Não entendi patavinas”… te liga bico de luz! Não feche teus ouvidos, teu coração, mas ouça com atenção a voz do Bom Tropeiro! Fique de orelha em pé! Ele hoje te chama na chincha! Não perca a oportunidade! Depois não adianta chorar as pitangas!Tchê! Tenha certeza: com Jesus, o Divino e Bom Tropeiro tu podes confiar e tocar ficha, seguro e faceiro/a pelas campeadas a existência.
Neste tempo de pandemia e isolamento social, acompanhe nossos cultos ao vivo, sempre aos domingos às 10h no Facebook: Ieclb Montenegro Ieclb. Também estará disponível no YouTube, Luterana Montenegro – Culto Evangélico Luterano, domingo à tarde. Deus abençoe tua vida!
P. Marcio S. da Costa

Avisos da semana:
Iniciamos com cultos semipresenciais. Informações e inscrições, bem como atendimentos e contribuições na secretaria de segunda à sexta, das 13h30min às 17h30min, respeitando orientações de prevenção.
Os sinos da Igreja da Ressurreição badalam diariamente também às 7h e 19h, convidando as pessoas para, de onde estão, orarem numa grande corrente de clamor pelo mundo.
Traga sua doação de mantimentos e produtos de limpeza e higiene pessoal para cestas básicas.

Deixe seu comentário