Alguns teólogos consideram a Carta aos Hebreus como quinto Evangelho, pois descreve o ministério de Jesus após sua ascensão (subida aos céus), enquanto que os evangelhos tratam do ministério terreno de Jesus. Esta carta é escrita para exortar uma igreja que passava por grandes tribulações e, por consequência, desânimo na fé. Cristãos vindos do judaísmo sofriam perseguições e estavam de malas prontas para voltar a fé judaica. O autor exorta os hebreus, que voltar ao judaísmo após ter abraçado a fé em Cristo é um caminho de apostasia, um retrocesso.

A carta afirma que Jesus é melhor do que toda lei e a fé judaica, que o sacrifício de Jesus é superior ao sacrifício judaico. Ele é o grande sacerdote, maior tanto em pessoa, quanto em obra. Nenhum sacerdote no Antigo Testamento e suas obras, chegaram ao patamar de Cristo. Ele é incomparável!Este sumo-sacerdote, encoraja as pessoas cristãs a conservarem firmes a confissão de fé nEle, que é o autor, o ponto de partida e o alvo da fé. Não devemos retroceder a crenças diversas oferecidas no mundo que enchem olhos, que buscam experimentar e acreditar num falso alívio, falso descanso, falsa paz.

Os hebreus passavam por tentação a partir de suas fraquezas. Você reconhece tuas fraquezas? Quais delas mais se destacam em você? Fraquezas físicas? Emocionais? Morais? Espirituais? Por vezes o ser humano tenta esconder isso do mundo, das pessoas ao redor. Mas a mensagem neste texto ensina: “Não há nada que se possa esconder de Deus. Em toda a criação, tudo está descoberto e aberto diante dos seus olhos, e é a ele que todos nós teremos que prestar contas”. O texto ainda afirma que a palavra de Deus é como uma espada afiada de dois lados. Na verdade, ela aponta parao pecado humano e o juízo de Deus. Ao mesmo tempo aponta para o Evangelho, a graça do Senhor.

A graça contida neste texto é: O grande sumo-sacerdote sabe das tuas lutas, fraquezas, tentações e até dos perigos que rondam tua vida, pois Ele também passou por isso e as venceu, motivo pelo qual lhe compreende, entende o que vivencia e se compadece de você. Este compadecer vem do sentido de “simpatizar”. Jesus se compadece de nós porque Ele simpatiza conosco. No seriado Chaves, o personagem Kiko pergunta as pessoas: “Você não vai com a minha cara”? Eu lhe pergunto: Você conhece pessoas que não vão com a sua cara? De quem você não vai com a cara? Quantas são as pessoas se olham e julgam pela aparência, condição social, sexo, cor, raça, problemas e dificuldades. Literalmente falando, não vão com a cara de alguém, ou por questões banais, ou por xenofobia ou preconceito. Com Jesus isso não acontece, Ele vai com a nossa cara! O texto então conduz seus leitores à diante do trono.

Estar diante do trono significa o contraste entre força e fraqueza, poder e fragilidade, riqueza e pobreza. Significa estar diante de alguém poderoso, em que minha vida ou destino pode estar nas suas mãos. Como que você se apresentará diante do trono de Deus? Vimos sobre a palavra de Deus que “Ela vai até o lugar mais fundo da alma e do espírito, vai até o íntimo das pessoas julgar os seus desejos e pensamentos do coração delas”. Esta palavra, afiada como espada, tem por finalidade cortar de nós pensamentos e atitudes egoístas, mesquinhas, vícios, autossuficiência, egocentrismo, narcisismo… Talvez você tenha medo, não queira experimentar esta nova realidade de vida, ou creia que a exigência é grande e dolorosa demais para você aceitar, talvez você pense até em desistir e retroagir. Mas, lembre-se, aquEle que se compadece de nós, que simpatiza contigo e comigo, promete: “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa de vida” (Ap 2.10). Estas são palavras de promessa, palavras de salvação! Pense e reflita nelas. Que Deus te abençoe.
P. Marcio S. da Costa

Avisos: Neste domingo, culto presencial às 9h na Igreja da Ressurreição. Não estaremos realizando cultos online no momento. Temos devocional Castelo Forte e Senhas Diárias à venda na secretaria. Adquira o seu, presenteie alguém! Participe de nossa Comunidade. Desde já seja bem-vindo/a!

Deixe seu comentário