Tudo em nossa vida necessita ser bem administrado. Nosso dinheiro, tempo, comida, luz, água, o combustível que consumimos.Precisamos administrar sabiamente bens e heranças, estudo e formação pessoal, relacionamentos sociais, a vida conjugal e familiar, hobbys, passeios, trabalho e profissão, sobretudo, a nossa vida de fé. Quem não administra sabiamente o que tem em mãos, ou o que lhe foi confiado, corre sérios riscos de perdas ou mesmo deixar de ganhar. E, mais cedo ou mais tarde, as consequências logo aparecem.Que tipo de administrador você se considera em relação a tudo que lhe é confiado? Há quem se arrependa e lamenta por não poder voltar atrás e ter feito diferente. Isto já aconteceu contigo?
No Evangelho lido encontramos uma parábola de Jesus, uma pequena ilustração. Embora seja usado o exemplo de algo cotidiano, a parábola não está voltada a administração pessoal de nossos bens. Aqui Jesus fala sobre o Reino do Céu, usando como exemplo um patrão que confia seus bens, sai de viagem e retorna para acertar contas. Um exemplo que aponta para o julgamento final, texto típico do final do ano litúrgico onde lembramos da promessa de Jesus em voltar para o “acerto de contas com os seus”. No entanto, esta parábola chama a atenção pela forma como o terceiro empregado é duramente castigado pelo patrão.Mas afinal, quem é este patrão? Jesus mesmo é o patrão que nos dá algo para administrar. São nossos dons, que nos são dados por Deus assim como Ele deseja.
O ensino contido nesta parábola, não importa tanto a quantia, mas sim, o que é feito com o que se ganha, neste caso, sua multiplicação à serviço de Deus e da vida. Jesus mostra que o tempo que separa cristãos da sua volta é tempo para aplicar os dons recebidos. Na história, o patrão distribui seus bens de acordo com a capacidade de cada empregado, confiando para ser administrado. Não importa em si o montante que cada um conquistou, mas sim, o fato de terem multiplicado e não apenas guardado. Muitas pessoas não colocam os dons que tem à disposição de Deus e em prol do próximo.
Quais são os teus dons? O que está te impedindo de servir? O apóstolo Pedro escreve 1Pe 4.10:“Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus”. Na Nova Tradução na Linguagem de Hoje está assim:“Sejam bons administradores dos diferentes dons que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros!”. Isso quer dizer que a nossa fé deve ser ativa no amor e não uma fé isolada,individualista e egoísta. Jesus nos mostra que uma fé assim é como o terceiro empregado que enterra o que lhe foi confiado. Dali não se tem nenhum proveito!Esta é uma fé medrosa, que se esconde, “enterra” o que Deus confiou com medo de arriscar e perder.
Se o terceiro empregado se justificasse dizendo: “Senhor, investi seu dinheiro, arrisquei tudo e perdi”, certamente a atitude do patrão seria outra, basta analisarmos o conteúdo da parábola. Com ela podemos aprender que o menor dos talentos, quando colocado a serviço de Deus, pode ganhar dimensões jamais esperadas. A parábola nos faz refletir também na realidade de que todas as pessoas terão que prestar contas. O juízo final que confessamos no Credo Apostólico não é apenas uma formulação teológica da igreja, mas ensino respaldado nas Escrituras do qual o presente texto é um exemplo claro.
Com qual dos três servos você se identifica? Onde estão os dons que Deus confiou a você? A parábola de Jesus não tem como intuito nos obrigar a algo a partir da imposição e do medo, mas chama a refletir que ainda é tempo para desenterrar e multiplicar a multiforme graça de Deus. Coloque seus dons à disposição e viva uma fé ativa no amor!Amém.
P. Marcio S. da Costa

Avisos da semana:
Venha e participe dos cultos presenciais, domingos às 10h. Demais informações, bem como atendimentos e contribuições na secretaria às segundas-feiras das 13h30min às 17h30min e de terça à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min, respeitando orientações de prevenção.
Traga mantimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal para cestas básicas que serão doadas.

Deixe seu comentário