Panquecas, molho de tomate triturado, frutas e cappuccino

Eu tenho certeza que quando alguém pensa em viagem de Kombi, mochilão, bike ou qualquer uma dessas loucuras, imagina que o ser humano só come sardinha ou atum em lata e miojo (prático e barato, não é mesmo?). É hora de acabar de uma vez por todas com essa imagem que se tem de nós, viajantes desse mundo.

Primeiro de tudo: temos um fogão. E a maioria do povo que coloca o pé na estrada tem. Seja um fogareiro de uma boca, um fogão a gás de duas ou um fogão grande de quadro queimadores e um forno. Todo mundo sabe que essa é uma das maiores economias que se faz durante essas aventuras e, por isso, acaba investindo na sua própria maneira de cozinhar.

Pão de fogão com
queijo cheddar

Consequentemente, a galera investe em panelas e utensílios de cozinha. Não conhecemos quem saiu sem pelo menos uma panela pequena e uma frigideira. Nós, particularmente, temos uma gaveta bem equipada com panelas de diferentes tamanhos, panela de pressão, chaleira, frigideiras e alguns equipamentos básicos. Dá pra se virar bem com tudo que trouxemos.

Sendo assim, é óbvio que a gente não vai cozinhar só massa e enlatado, né? Pelo contrário! A viagem tem nos dado tempo, nos inspirado a aprender mais sobre culinária e dado coragem de experimentar e arriscar. Por isso, nossos rangos andam bem elaborados por aqui e estamos bem felizes com isso, porque estamos conseguindo comer de maneira mais saudável, com uma alimentação bem completa e saborosa.

Churros

Tudo isso ganhou um extra superespecial no último mês. O casal do projeto A Kombi Viajante, a Bruna Becker e o Luiz Jaeger, que estão com a gente desde 16 de agosto, já têm uma baita experiência nessa vida de Kombi e de cozinha de kombeiro. Ela cozinha muito bem e conhece várias receitas diferentes e está nos dando várias dicas e ideias e nos ajudando a perder o medo das panelas.

Cueca-virada

Ginástica nossa de cada dia
Nunca vou falar que é fácil, extremamente fácil, pra você, e eu e todo mundo cozinhar em uma Kombi (pegou a referência musical?). Na verdade, é uma ginástica, porque tudo está guardado de maneira milimetricamente organizada em apenas dois armários. É como um lego, aquele joguinho que encaixa as pecinhas e tal. Tudo está encaixado de tal forma que acessar é uma missão quase impossível.

Arroz com legumes
e batata dorê

Por exemplo, a panela de pressão está atrás da leiteira, que está atrás das frigideiras, na gaveta que fica em baixo dos bancos dianteiros. Depois da panela, tem que pegar a massa, que está em um pote, atrás dos temperos e da caixinha de pacotes abertos. Daí, ligamos o gás, acendemos o fogo e começa a missão três que é pegar o óleo. Ah! E tudo isso curvado ou sentado, porque não conseguimos ficar em pé na Kombi. Dependendo do dia, chega aí e eu desisti de cozinhar já, porque todo dia é essa mesma novela pra acessar qualquer coisa que não esteja na ponta das prateleiras.
Mas, normalmente, estamos dispostos e mandamos ver nas refeições.

Salada mista com cogumelos e molho de iogurte com mostarda

Onde estamos
Ainda, já há um mês, entre Mendoza e Uspallata, no Centro-oeste da Argentina. Estamos acompanhados do Luiz e da Bruna, do projeto A Kombi Viajante (sei que já prometi falar mais deles aqui. Vai rolar!). Estamos conhecendo a região e curtindo a experiência de viajar com mais alguém, que é novo pra nós e tá sendo bem legal.

Arroz, mix de salada com molho de mostarda, batata dorê e alface

Infelizmente, além disso, estamos com um pequeno problema mecânico no sensor de ar. Em resumo – e tentando explicar da maneira que eu entendi, para os leigos -, essa peça está doidinha, mandando mais ar do que o motor precisa e ele fica falhando quando está em alta velocidade ou apagando quando estamos parados. Tá uma beleza. Não é nada grave, mas queremos resolver por aqui. Estamos em busca dessa peça para trocarmos.

Deixe seu comentário