Sim, concluímos essa etapa da viagem pela América do Sul. Foram quase 3 meses desde a entrada na Patagônia até chegar a província de Mendoza, marco final da região na Argentina. Durante esse período, passamos mais tempo no país dos hermanos do que no Chile, principalmente pelo custo com combustível – que quase dobra nos postos chilenos.

A Patagônia conta com quase 800 mil km² de paisagem praticamente intocada e com um número de habitantes bem reduzido em relação a outras partes dos dois países. É o destino certo pra quem curte esportes radicais, caminhadas, cavalgadas, pescaria, observação de animais, contato direto e intenso com a natureza e paisagens de tirar o fôlego. De um lado, a imponente Cordilheira dos Andes, do outro, o pampa argentino e o litoral do Oceano Atlântico.

Todos os atrativos se intensificam no verão e, consequentemente, se transformam no inverno. Algumas atrações não acontecem com frio e neve, como caminhadas e cavalgadas nas montanhas, e reduz drasticamente as opções de hospedagem. Porém, outras só ocorrem nessa época, como esqui. Então, antes de ir é preciso escolher a estação que mais curte e achar as atrações.

Elegemos nossos pontos preferidos da Patagônia. Difícil, hein! Antes de qualquer coisa: a estrada é o que de mais lindo tem nessa região. Ela muda tanto, que nem dá tempo de se acostumar com uma paisagem. É indecifrável e perfeito.

1 – Ushuaia
A cidade inteira mesmo. Já falamos, mas o Ushuaia foi um marco pra nós como viajantes e nos impressionou de muitas maneiras. A principal delas foi pelas belezas naturais mantidas de maneira exemplar. São diversas caminhadas e passeios que podem ser feitos lá, como para o Glaciar Martial, Laguna Esmeralda, Parque Nacional Tierra Del Fuego, Canal Beagle, Lago Escondido e muito mais. O inverno dá um charme a mais, mas é possível visitar e se encantar durante todo o ano.

2 – Parque Nacional Los Alerces, Argentina
Fomos no alto do inverno, mas sabemos que esse lugar reserva muito mais para quem visita na época das temperaturas quentes. Montanhas que não perdem nunca a neve do cume, rios, lagos e lagunas com água cristalina, árvores milenares e paisagens lindas fizeram esse parque não tão conhecido pelos turistas estrangeiros entrar no nosso top 5.

3 – Parque Nacional Torres Del Paine, Chile
Experimenta buscar “Patagônia” no Google. Torres Del Paine vai aparecer de primeira. É uma das paisagens mais características dessa região e, realmente, é incrível. Montanhas de forma única, lagos, rios e até um Glaciar fazem parte desse lugar. Uma das passagens obrigatórias, assim como a cidade de Puerto Natales, pertinho do Parque Nacional e um lugar super-hospitaleiro e lindo.

4 – Puerto Río Tranquilo, Chile
O segundo ponto chileno que integra essa lista é um dos lugares mais lindos do mundo, não temos medo de afirmar isso. O caminho, que passa pela Carretera Austral, é “de filme”. Lá, em Puerto Río Tranquilo, é onde estão as cavernas de mármore, que mostramos aqui em julho. Com certeza, esse é um dos locais que queremos voltar em outro momento da vida.

5 – Glaciar Perito Moreno, Argentina
Uma das paisagens mais imponentes da Patagônia. O glaciar Perito Moreno tem de 70 metros de altura, quatro quilômetros de comprimento e mais de 257km². Ele está a poucos quilômetros de El Calafate, que também é ponto de partida pra visita de vários pontos superlegais da Patagônia. Pra fechar o TOP 5 em grande estilo.

Extra
Além desses pontos, que são mais turísticos e estão preparados para turistas, a Patagônia conta com centenas de lugares maravilhosos que não possuem essas características. São povoados, restaurantes, locais de apoio ao viajante, parques municipais, estradas e MUITO MAIS que só são descobertos quando a gente abre nossos olhos para todas as possibilidades novas que estão à nossa disposição. Recomendamos!

Como conhecer a Patagônia
É impossível conhecer todos os grandes pontos da Patagônia em apenas uma viagem curta, de 10 ou 15 dias. Primeiro, porque a extensão é big-master. Outra porque vale a pena perder alguns dias a mais em um ou outro ponto. Então, a dica é fazer vários “recortes” e ir visitando por partes (ou largar tudo, pegar uma Kombi e se bandear pra lá).

Há vários bons aeroportos na região, com voos partindo de Buenos Aires. Viedma, Bariloche, El Calafate, Puerto Madryn e Río Gallegos são algumas das melhores opções, tanto pela proximidade com as principais atrações como pela boa oferta de vôos.

Para quem prefere viajar de carro, a dica é planejar um pouquinho antes, principalmente porque algumas cidades estão muito distantes de outras e é preciso saber onde parar, onde abastecer e tudo mais. Outra informação importante é: tem muito vento e em quase todas as cidades. Para quem viaja de moto, é uma aventura bem desafiante.

Também há possibilidade de ir de uma cidade para outra de ônibus. São muitas opções e algumas bem boas (em qualidade e preço).
Fora isso, é só aproveitar!

Deixe seu comentário