Para quem não entende nada ou nem sabe se gosta de vinho, Mendoza também. Essa província (como um estado) argentina, que tem a capital de mesmo nome, é responsável por 70% da produção de vinhos do País e tem mais de 130 bodegas abertas para visitação.

A cidade de Mendoza é conhecida como a Capital Internacional do Vinho e, obviamente, Capital Argentina do Vinho. É rodeada por milhares de hectares de parreiras de mais de 40 tipos de uvas, que se desenvolvem tri bem com a pouca chuva e a alta altitude local. Em toda a região, são mais de 360 bodegas ou vinícolas, que exportam a 130 países.

Claro que não deixaríamos de conhecer pelo menos um pouquinho dessa história, né? Pra não gastar – porque somos esse tipo de pessoa, mesmo – procuramos uma vinícola com visitação e degustação gratuitos. Pura ilusão: experimentamos o que tinha de melhor e, consequentemente, saímos de lá carregando uma ou duas garrafas.

A Bodega López está em funcionamento desde 1898, quando foi fundada por José López Rivas. Desde então, a empresa é administrada pela mesma família, que já conta com a quarta geração envolvida na indústria do vinho. Ou seja, agora são os bisnetos que comandam e mantêm a indústria.

Ela produz sozinha 15 milhões de litros de vinho por ano. Fiquei pasma com essa informação. É muito vinho, minha gente! Além de abastecer os argentinos, a empresa também exporta para 10 países, incluindo o nosso Brasilzão. No total, são 1.100 hectares de vinhedos próprios, a maioria de uva Malbec e para produção de vinho tinto, embora também produza vinho branco.

Além de conhecer toda a indústria e todas as fases da produção do vinho (que pode levar de alguns meses a muitos anos), pudemos degustar e entender um pouco sobre os gostos, aromas e cores dos diferentes vinhos. Supermaravilhoso pra gente descobrir do que gostamos ou não, já que não tínhamos muito conhecimento ou experiências com essa bebida.

Para amantes de azeite, Mendoza
Sim, Mendoza também produz um azeite de oliva que é reconhecido internacionalmente. Fomos conhecer uma indústria pequena, PasRai, que se denomina Boutique de Azeite de Oliva, por ter uma produção mais limitada e tal.

Como no passeio pela Bodega, passamos por todas as etapas da produção do azeite, desde a chegada das azeitonas até a colocação do rótulo na garrafa. Depois, o melhor momento de todos: experimentar os diferentes azeites e algumas combinações.

Vocês já experimentaram azeite de oliva com sabor, por exemplo, de orégano ou alecrim? A gente nunca tinha provado, nem sabia que existia. E, sério, é uma maravilha! Pra colocar em torradinhas, na salada ou na comida mesmo. Fica a dica.

Onde estamos
Agora, estamos em Uspallata, uma cidade pequena, há poucos quilômetros de Mendoza sentido Chile. Estamos com o Luiz e a Bruna, que também são aí de Montenegro e que estão curtindo todos esses passeios com a gente. Devemos ficar mais uns dias por aqui, curtindo a vista da Cordilheira dos Andes e o sol que não está nos abandonando há semanas.

Deixe seu comentário