Depois de mais de cinco meses, passamos a fronteira para um novo país nessa semana. Desde maio, cruzamos cinco vezes os limites entre os mesmos países, Argentina e Chile. Então, no dia 24 de novembro, chegamos ao Peru, o quarto país estrangeiro dessa aventura pela América do Sul.

Nossos últimos dias antes de atravessar a fronteira foram incríveis, para fechar com chave de ouro nossa passagem pelo Chile. Ficamos quatro dias na beira da praia, na cidade de Arica, curtindo a água gelada do Pacífico e a simpatia do povo mais peruano que o Chile já teve (não é falar mal do Chile, mas o argentino e o peruano já nos provaram ser muito parecidos quando o assunto é gentileza, simpatia e alegria. Eles limpam a rua cantando, te ajudam em tudo e são pessoas incríveis).

De Arica, entramos no Peru pela cidade de Tacna (que foi chilena por um período e voltou a pertencer ao Peru há 90 anos apenas. Histórias de guerra). E ali já tivemos um gostinho de como vai ser esse país, que deve nos hospedar por mais de um mês: chegamos no dia da festa do Bicentenário do Peru, que é só em 2021, mas que já está sendo celebrado desde agora. O país está com um projeto bem legal de fazer o povo mais feliz, para poder também ser mais alegre, gentil, honesto e receptivo. Acho que eles querem nos dar mais motivos pra voltar.

Ah! Não sei se já falamos sobre isso, mas é nossa segunda vez no Peru. Estivemos no país em 2015, não de Kombi, claro! Visitamos Cusco (ponto de partida pra Machu Picchu) e Lima (capital). A ideia é passar novamente pelas duas cidades e, dessa vez, ficar mais tempo e aproveitar melhor cada uma.

Seguro obrigatório no Peru
Para quem pensa em vir de carro para o Peru, não dá pra esquecer o seguro obrigatório! Aqui, ele se chama SOAT, e pode ser feito logo após cruzar a fronteira. Se preferir, diversas seguradoras espalhadas pelo país também realizam esse serviço.

Vale lembrar que para passar pelo Uruguai, Argentina e Chile também precisamos contratar o seguro. Para os dois primeiros – mais o Paraguai -, é a Carta Verde, que pode ser feita no Brasil, em várias seguradoras diferentes, ou nas fronteiras. Fizemos o nosso em Montenegro mesmo. Os valores variam bastante, então, vale pesquisar. Para o Chile, o seguro se chama SOAPEX, e pode ser contratado pela internet, no site oficial.

Manifestações ainda tomam conta do norte chileno
Antes de sair do Chile, presenciamos diversos protestos e manifestações nas cidades de San Pedro de Atacama, Calama e Arica. O que começou em Santiago, no mês de outubro, por causa do aumento na passagem do transporte público, tomou conta do país, agregando novas pautas: o fim da privatização da saúde, da educação e do sistema de aposentadoria, alta diferença econômica e social nos grandes centros e o alto custo de vida em relação com o salário mínimo.

O povo está a mais de um mês nas ruas exigindo transformações radicais na administração pública. Diferente do que acontece no centro do país, as manifestações no norte chileno não têm tido casos de vandalismo e não sofrem com a intervenção da polícia. Na verdade, os protestos estão lindos! Música, cartazes coloridos, bandeiras e danças têm marcado a atuação do povo, que, diariamente, fecha ruas e faz sua voz ser ouvida. Bonito de ver.

Quer saber mais sobre algum lugar?
Ficou com alguma curiosidade dos lugares que já passamos ou quer saber um pouco mais sobre nossos próximos destinos? Manda um e-mail pro comanaluzpelomundo@gmail.com e faça sua pergunta. Respondemos aqui na próxima semana.

Deixe seu comentário