O prefeito Luiz Américo Aldana teve uma vitória importante na quinta-feira à noite, no sorteio para o preenchimento da vaga deixada por Valdeci Alves de Castro na comissão processante do Impeachment. No prosaico saco plástico usado para a tarefa estavam os nomes de seis vereadores. O presidente Neri de Mello Pena (PTB) e o suplente Márcio Müller (SD) ficaram de fora, atendendo ao regimento interno. Além deles, Érico Velten, do PDT, e Cristiano Braatz (PMDB), que já integram o grupo. Restaram os papeizinhos com os nomes de Felipe Kinn da Silva (PMDB), Juarez da Silva (PTB), Talis Ferreira (PR), Joel Kerber (PP) e Rose Almeida e Josi Paz, do PSB. Dos seis, Rose foi a única que votou contra a instauração do processo, há duas semanas. E deu justamente ela. No plenário, tomado majoritariamente por CCs do governo, houve uma explosão de alegria. De fato, de todos os resultados possíveis, este foi o melhor para o prefeito Aldana.

Em tempo real – A presença de um aliado do governo não é garantia de absolvição do prefeito. Longe disso. Mas assegura que o chefe do Executivo saiba, na hora, de todos os passos do grupo e se arme melhor para os enfrentamentos que estão por vir.

Defesa – Hoje encerra o prazo para Aldana entregar na Câmara sua defesa prévia. A partir daí caberá ao vereador Cristiano a elaboração de um relatório apontando pela continuidade ou pelo arquivamento do processo. O prazo é de cinco dias. Se a opção for pela extinção, o pareecer será submetido ao plenário. Mas todos já sabem que as chances de isso ocorrer são mínimas.

Raposa – Anunciado o resultado do sorteio, enquanto a turma do governo festejava, alguém, no fundo do plenário, chamou Rose de “raposa velha”. O tom pareceu ofensivo, mas, na político, é um baita elogio.

Complicador – Durante a sessão de quinta-feira, ficou muito claro o papel que o vereador Márcio Miguel Müller (SD) vai desempenhar no Legislativo durante a sua interinidade. Antes da escolha do novo integrante da comissão do Impeachment, ele levantou várias dúvidas sobre a forma como a mesa diretora está conduzindo os trabalhos. Primeiro, declarou que o requerimento para substituição de Valdeci Alves de Castro deveria ter sido incluído na ordem do dia, o que inviabilizaria a escolha naquela sessão. Depois, alegou que, pela Constituição, tinha direito de participar do sorteio.

Indeferidos – O presidente Neri Pena indeferiu os pedidos. Segundo a consultoria jurídica da Câmara, existem requerimentos – como neste caso – em que o deferimento é uma mera formalidade, um imperativo legal, logo, uma atribuição exclusiva do presidente. Quanto à participação de Müller no sorteio, a legislação que trata do Impeachment permite mais de uma interpretação. Cabelo foi pela lógica: o suplente deve ficar de fora porque, a qualquer hora, o titular pode voltar, gerando novos transtornos.

Despreparado – A decisão do presidente pelo indeferimento dos pedidos foi precedida de uma longa discussão, em que ficou muito claro que ele não tem o mínimo conhecimento sobre as leis que jurou respeitar e sobre o regimento interno. Apesar da competente assessoria jurídica da Câmara, o despreparo de Cabelo pode colocar em risco todo o processo.

Alto risco
– Também é verdade que o resultado do sorteio deve inibir qualquer tentativa de anulação. Ainda que tenham ocorrido tropeços da mesa diretora, Márcio Müller não vai recorrer à Justiça com este objetivo por uma razão mais do que clara. Numa nova rodada, é capaz de a escolha recair sobre alguém da oposição. Melhor não brincar com a sorte.

Equilíbrio – Márcio Müller a Rose Almeida são, de longe, os vereadores mais experientes neste momento. E ambos estão do mesmo lado, na defesa do prefeito Aldana. Há quem defenda uma tentativa curiosa de equilibrar o jogo, substituindo o vereador Juarez da Silva (PTB) pelo primeiro suplente do partido, Renato Kranz, durante a tramitação do processo de Impeachment. Será que Juarez toparia a manobra?

Reforço – Supondo que a troca seja realizada, Kranz não poderá atuar na comissão e nem mesmo votar caso o processo de cassação evolua e chegue ao plenário da Câmara. Por outro lado, ele é um profundo conhecer do regimento interno e, como relator do processo que levou ao despejo de Paulo Azeredo, em 2015, uma passagem temporária pelo Legislativo daria um reforço importante à inexperiente oposição.

Rapidinhas
* A libertação do empresário Valmir D’Ávila, preso por porte ilegal de armas durante as buscas da Operação Ibiaçá, abre espaço para que ele dê a sua versão sobre os fatos. Certamente tem muito a dizer.

* Vereador Talis Ferreira, do PR, propõe uma reunião na Câmara para discutir a situação da pintura das faixas de segurança na cidade. Há fortes boatos de que a Prefeitura não tem tinta para a manutenção.

* Mais um mês chegou ao fim e nada de o Daer apresentar o projeto das rótulas para os acessos aos bairros Panorama e Santo Antônio. Está cada vez mais evidente que tudo foi mera encenação.

* O trio formado por Maria Fernanda Renner e as irmãs Juliana e Simone Becker constitui o mais importante núcleo de aconselhamento do prefeito Aldana. Desde que Valter Robalo e Gilson Hartmann deixaram a Administração, por decisão judicial.

* Após dois adiamentos, a Prefeitura marcou para o Dia dos Pais, em 13 de agosto, as provas do concurso para vários cargos que deveria ter sido realizado em 18 de dezembro. No Facebook, há quem queira saber que dia será anunciado o novo cancelamento.

Rua fechada
O vereador Felipe Kinn da Silva (PMDB) propõe que a Prefeitura feche a Rua Álvaro de Moraes, no Cais do Porto, para o trânsito de veículos aos sábados e aos domingos à tarde. Indiretamente, seria uma forma de acabar com a zoeira provocada principalmente pelos carros de som. Por outro lado, também é provável que os donos dessas máquinas de “perturbação do sossego” encontrem outro local para desfilar seus “equipamentos” e sua ignorância.

Sossego – O fechamento da beira do Rio também é uma forma de devolver o espaço às dezenas de famílias que gostam de aproveitar a orla, conversando com os amigos e tomando um chimarrão no fim de tarde. Para estas pessoas, que valorizam o descanso e o sossego, a medida é bem-vinda. Já para aqueles que gostam de agito, o Cais ficará muito “parado”.

Mais segurança
A transferência da sede da Guarda Municipal para o Parque Centenário renova as esperanças dos usuários que temem utilizar o espaço para lazer e atividades físicas. Como em vários pontos a cerca foi derrubada, a presença de consumidores de drogas no local tem aumentado. Há um receio de que, se não forem tomadas providências, a área acabe abrigando uma Cracolândia. Se é que já não existe uma nos matinhos.

Maquiavelismos
A advogada Eliane da Rosa, coautora do pedido de Impeachment do prefeito, publicou em sua página no Facebook os “Dez mandamentos de Maquiavel”:
1. Zelai apenas por vossos interesses;
2. Não honreis a mais ninguém além de vós;
3. Fazei o mal, mas fingi fazer o bem;
4. Cobiçai e procurai fazer tudo o que puderes;
5. Sede miseráveis;
6. Sede brutais;
7. Lograi o próximo toda vez que puderdes;
8. Matai os vossos inimigos e, se for necessário, os vossos amigos;
9. Usai a força em vez da bondade ao tratardes com o próximo;
10.Pensai exclusivamente na guerra.
Para quem será que é o recadinho?

Deixe seu comentário