Os candidatos a prefeito de Montenegro participaram, na manhã desta segunda-feira, do primeiro debate promovido pelo Jornal Ibiá dentro do seu projeto de cobertura das Eleições 2020. Como neste primeiro encontro não houve espaço para perguntas entre eles, o clima foi de cordialidade. Os poucos ataques ficaram no campo das insinuações. Gustavo Zanatta, Kadu Müller, Márcio Menezes, Percival de Oliveira e Ricardo Kraemer demonstraram certo nervosismo e dificuldade em responder de forma mais objetiva às perguntas. Por já terem a vivência de comandar o Município, o prefeito Kadu e o ex, Percival, tiveram alguma vantagem sobre os demais nas questões administrativas e os adversários pouco exploraram o ônus que isso representa para ambos.

Forma – Em linhas gerais, os cinco candidatos a prefeito mostraram mais consensos do que divergências. Prometem praticamente o mesmo e o que poderia diferenciá-los frente ao eleitor seria a forma como cada um cumprirá suas promessas. O problema é que nenhum deles se aprofundou em qualquer tema. Gustavo Zanatta, por exemplo, ficou até devendo uma resposta sobre como pretende encaminhar a atualização do Plano Diretor.

Inflando números – A maioria dos candidatos também mostrou claro desconhecimento sobre questões orçamentárias. Márcio Menezes chegou a inflar em pelo menos R$ 50 milhões a previsão de receitas para 2021. Percival de Oliveira fez o mesmo ao dizer, primeiro, que entregou o governo com um montante estimado em quase R$ 200 milhões e, depois, em outro momento, que eram R$ 180 milhões. Na verdade, quando encerrou o seu segundo mandato, a previsão de arrecadação para 2013 era de R$ 167 milhões. Uma diferença importante.

Deterioração – Numa pergunta relacionada à revitalização do Parque Centenário, Percival de Oliveira disse não saber em que momento a estrutura começou a se deteriorar, a tal ponto de hoje não poder ser usada para a realização de eventos. Na réplica, Kadu “lavou as mãos”, ressaltando que também não tem a resposta, pois a degradação já existia quando assumiu oficialmente o governo, em 2017. E ainda sugeriu que ela é fruto de uma histórica falta de manutenção, insinuando que o DNA do ex-prefeito pode estar no problema.

Os dois – A verdade é que os dois carregam parte da responsabilidade. O ginásio Domingão, dentro do parque, está interditado para reforma desde 2005, quando iniciou a primeira gestão do agora candidato Percival na Prefeitura. E os problemas na rede elétrica vieram à tona em 2016, no governo Aldana, do qual Kadu fazia parte e a quem sucedeu depois. Ambos tiveram muito tempo para encaminhar soluções.

Ajudinha – Durante o sorteio das perguntas, muitas delas apresentadas por entidades locais, a sorte sorriu para alguns candidatos. Kadu Müller teve a chance de se promover em cima da implantação do Pólo de Química, que está ocorrendo em seu governo; e Percival de Oliveira pode falar sobre a instalação da Unisc, uma de suas principais conquistas quando comandou o Executivo. Outro “sortudo” foi o representante do PT, Ricardo Kraemer, que teve a chance de discorrer mais detidamente sobre a área de assistência social e promoção da cidadania, uma das prioridades históricas da legenda.

Professores – Um dos melhores momentos do candidato Gustavo Zanatta foi numa discussão sobre Educação e a melhoria dos índices do Município no Ideb, que pioraram na última avaliação. Ele disse que a qualificação do ensino depende, em grande parte, da valorização dos professores e prometeu rever o plano de carreira da categoria. Uma promessa que outros fizeram e não cumpriram.

Balneário – Márcio Menezes também teve um bom momento ao falar sobre as áreas de lazer do Município. Quando foi titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo, na gestão Paulo Azeredo, ajudou a revitalizar o Balneário Municipal, que hoje está interditado. Ao se comprometer com a reabertura do espaço, “produziu música” para os ouvidos dos saudosos usuários.

Chazinho – A escassez de confrontos diretos entre os candidatos a prefeito tornou o primeiro debate um civilizado chá de comadres. Contudo, à medida que a corrida avança, é provável que a temperatura suba.

_________________________________________

Sem cargos
Durante entrevista ao Jornal Ibiá, na quinta-feira, o candidato Gustavo Zanatta prometeu que, se eleito, não trocará votos na Câmara por cargos na Administração Municipal. Segundo ele, o correto é tentar atender aos pedidos dos vereadores que, na verdade, são pleitos da própria população. Assim, Executivo e Legislativo estariam unindo forças e trabalhando juntos.

Apetite – A ideia é bonitinha, mas colide com a prática. Somente neste ano, com as atividades da Câmara reduzidas por causa da pandemia, suas excelências já apresentaram 452 pedidos de providências. Mesmo que parasse todas as máquinas e os servidores para atender unicamente aos parlamentares, seria impossível satisfazer tamanho apetite. Melhor pensar num Plano B.

Realidade – Em relação à campanha de 2016, quando concorreu a prefeito pelo Progressistas, Zanatta claramente amadureceu. Basta comparar a entrevista desta semana com a de quatro anos atrás. Contudo, demonstra um certo desconhecimento sobre a realidade das finanças da Prefeitura. E quando promete reduzir impostos, deve dizer quais e quanto. Senão, parece apenas uma boa intenção, daquelas que abundam no inferno. Tem que vê isso daí!

Por perto – Candidato a vice, Cristiano Braatz acompanhou a entrevista. Zanatta disse que ele terá um espaço ao seu lado no gabinete para governarem juntos. A recente história da política local mostra que, às vezes, é mais inteligente manter os aliados perto do que monitorar os adversários.

_____________________________________

Empatados
Depois que desistiu da candidatura a vereador pelo PDT por causa da aliança com Percival de Oliveira, Adairto da Rosa, o Chacall, decidiu apoiar Gustavo Zanatta à Prefeitura. Curiosamente, Zanatta também perdeu um candidato a Câmara semana passada. Luiz das Remoções deixou a corrida e vai pedir votos para… Percival. Nesse joguinho particular, por enquanto, o placar é 1 X 1.

______________________________________

Rapidinhas
De “molho” por 15 dias em virtude de um infarto, o tradicionalista Ubirajara Pires, o Bira, está de volta à campanha eleitoral. Candidato a vereador pelo PTB, ele pretende aproveitar a busca pelos votos para seguir as orientações médicas e caminhar mais.

Vereadora Rose Almeida (PSB) obteve aprovação unânime para mais duas homenagens. Adair Vianna, vereador por seis mandatos e duas vezes presidente da Câmara, e o empresário José Romaldo Luft serão nomes de ruas.

Durante a votação do projeto, Cristiano Braatz (MDB) lembrou que Vianna era um “político raiz”. Mesmo quando já estava quase cego, fazia questão de caminhar pelos bairros e conversar com a comunidade. Uma lição do “velho guerreiro” que muita gente deveria aproveitar.

A baixaria nas redes já rola solta. Sexta, a “esgotosfera” informava que a candidatura de Percival de Oliveira havia sido impugnada pela Justiça Eleitoral. Só que o prazo de registro sequer havia terminado. O eleitor deve printar e fazer denúncia na Polícia para identificar os criminosos.

Além da campanha de Percival de Oliveira para prefeito, a agência Conecta está atendendo a quatro aspirantes à Câmara: Gustavo Oliveira (PP), Dr. Kleber (MDB), Márcio Müller (PL) e Cláudio Tenório (PT). A empresa ainda trabalha com candidatos a outras seis prefeituras e três legislativos.

Deixe seu comentário