Não é segredo para ninguém que, ano após ano, o governo do Estado e a União vêm repassando novas responsabilidades às prefeituras. Geralmente, as administrações locais fazem mais do que lhes cabe por lei em áreas críticas, como Saúde, Educação e Segurança, porque a população simplesmente precisa. Recentemente, o Município anunciou a locação de câmeras de segurança com o objetivo de enfrentar a criminalidade porque a Brigada não tem efetivo suficiente. Da mesma forma, investe muito mais do que poderia na compra de medicamentos e serviços médicos. Na Educação, prédios e professores atendem onde o Estado não quer mais atuar. Agora, porém, a situação deixou de ser grave para se tornar insustentável. Tanto o Palácio Piratini quanto os órgãos federais passaram a jogar no colo das prefeituras até mesmo obras em rodovias. Está acontecendo com um trecho da BR-470, que ainda não tem asfalto, em Fortaleza; e com a RSC-287, nos sete quilômetros que cortam o perímetro urbano de Montenegro.

Lavando as mãos
Há poucos dias, diante das justas reclamações da comunidade por asfalto, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) declarou que não tem condições de realizar a obra. E mandou um recado bem direto aos prefeitos de Montenegro e Triunfo: se querem a melhoria, façam! Até parece que só depende de boa vontade. Não é diferente com as rótulas da RSC-287. O projeto finalmente foi concluído, com orçamento de aproximadamente R$ 20 milhões. Só que o Estado não tem verbas.

Rateio
Aliás, é bom que se diga, o projeto das rótulas foi concebido pelos técnicos da EGR, mas a Prefeitura contribuiu com mais de 50% do valor. E quando ele finalmente chegou ao Palácio Rio Branco, foi entregue “à moda Miguelão”, numa caixa de papelão envolta em dois sacos de lixo.

Chapéu na mão
A única alternativa para a realização das obras é a busca de recursos em Brasília, por meio de emendas parlamentares ao orçamento da União. E, ainda assim, será necessário executá-las em etapas. Só a rótula do cruzamento com a Ramiro Barcelos vai custar mais de R$ 4 milhões. É óbvio que não tem como a Prefeitura bancar o serviço.

Arma de campanha
Ainda que a responsabilidade pelas melhorias, no caso da RSC-287, seja do Estado, é o prefeito que será cobrado pelos contribuintes. Assim com a comunidade da Fortaleza, embora até saiba que o asfaltamento cabe à União, certamente vai pressionar as administrações de Montenegro e de Triunfo. E ano que vem, na hora de pedir votos, a oposição dirá que tudo é culpa do candidato Kadu.
________________________________________________________________________

Homenagem
A Câmara aprovou por unanimidade, na sessão de quinta, o nome de Manuel Valdemar Machado, o “Tio Mário”, para o posto de saúde de Muda Boi. Por mais de 40 anos, o agricultor atendeu a centenas de pessoas como benzedor e sua atuação ajudou a muita gente, inclusive, pessoas para quem a medicina tradicional não ofereceu cura. A iniciativa foi da vereadora Josi Paz (PSB) e agora o texto segue para o prefeito Kadu Müller definir se o transforma em lei ou não.

Provocação – Por mais justa que a homenagem seja, nem todos acham que foi uma boa idéia. É que a maioria dos médicos é radicalmente contra a prática das benzeduras e muitos consideram as simpatias mero charlatanismo. Dar o nome de um benzedor a um “templo da medicina” convencional foi visto como uma provocação da autora do projeto.

Sem noção – Aliás, na sexta-feira, o assunto despertou piadas na rede social Whats app. Há quem tema que, nas próximas homenagens, Josi proponha o nome de analfabetos para escolas e de ladrões para postos policiais.

Sem critérios – De fato, critério não é forte do legislativo local. Ano passado, por iniciativa do vereador Cristiano Braatz (MDB), um homem acusado de violência doméstica recebeu o título de Cidadão Montenegrino.

________________________________________________________________________

Curta duração
A saída do empresário Tiago Feron do cargo de secretário municipal de Gestão e Planejamento, apenas um mês depois de assumir, deixou muita gente intrigada. Oficialmente, a justificativa é a de que não estava conseguindo conciliar suas atividades na iniciativa privada com o trabalho no governo, mas parece haver mais. O próprio Feron deixou escapar que alguns “arranjos” políticos dificultam a ação do gestor, sem especificar quais.

Estômago – Embora devesse ser diferente, no serviço público, poucas vezes a capacidade do sujeito vem antes da filiação partidária e dos ganhos políticos que a nomeação pode assegurar. E são hipócritas aqueles que dizem o contrário. Então é muito comum ter como chefe alguém que ganha muito e sabe pouco. Requer estômago e nem todos têm.

________________________________________________________________________

Hora errada
A Administração Municipal quer rediscutir a altura dos prédios no Centro, hoje restrita a seis pavimentos, mas o momento pode não ser oportuno. Qualquer resultado vai desagradar a muito gente. A pouco mais de um ano das eleições…

________________________________________________________________________

RAPIDINHAS
O deputado federal Afonso Hamm (Progressistas) conseguiu uma emenda no orçamento da União, no valor de R$ 100 mil, ao Hospital Montenegro. Em breve, a instituição vai anunciar onde o dinheiro será aplicado, junto com outros repasses também obtidos na bancada federal gaúcha.

O vereador Juarez Vieira da Silva assumiu oficialmente a presidência do PTB montenegrino, durante um evento realizado sexta-feira à noite, no Clube do Comércio. A legenda está unida em torno de Gustavo Zanatta e começa a trabalhar para buscar a adesão de outros partidos à sua candidatura.

Principal aliado do ex-prefeito Percival, agora filiado ao PRB, o professor Renato Antônio Kranz segue no PTB. Algumas pessoas o veem como uma espécie de espião. Teoria da conspiração?

A ideia de instalar em Montenegro uma “farmácia solidária”, para receber sobras de remédios e redistribuí-los a famílias carentes, colocou o setor em alerta. Empresas do segmento, com medo do impacto nas vendas, já estão se armando contra a iniciativa.

Para não fugir à regra, os vereadores Erico Velten (PDT) e Valdeci Alves de Castro (PSB) não compareceram à sessão solene da Semana da Pátria. O evento exigia terno e gravata.

E por falar no vereador Valdeci, ele pede que a Prefeitura faça a manutenção de “todas as estradas” de todas as localidades do interior e a rede de esgoto de quase todos os bairros. Não sobrou nada para os demais.

Somente neste ano, o legislativo já apresentou 971 pedidos de providências. Quase todos tão úteis quanto um óculos de sol numa noite de tormenta.

Que haverá filas na reta final do recadastramento biométrico todos já sabem. A dúvida é de quantas horas.

________________________________________________________________________

Visual mutante
O vereador Felipe Kinn da Silva (MDB), vira e mexe, aparece na Câmara com novo visual. Quinta-feira, os colegas chegaram a compará-lo, após novo corte de cabelo e barba, com o ator Hugh Jackmann, o Wolverine (C). Também teve quem o achasse parecido com John Travolta, no filme “Temporada de caça” (E). No fim, houve o consenso de que seria boa vontade demais. Por enquanto, o talento cênico do vereador está restrito à Câmara.

Deixe seu comentário